PSDB é "elitista" em "origem, meio e fim", diz Dilma

Candidata afirmou que os adversários "são aqueles que só olham para uma minoria" e ao lado de Lula avaliou a atual campanha como "a eleição mais conflituosa dos últimos anos"

iG Minas Gerais | DA REDAÇÃO |

Há uma expectativa sobre a posição de Lula, já que Marina foi sua ministra do Meio Ambiente antes de romper com o PT
Divulgação
Há uma expectativa sobre a posição de Lula, já que Marina foi sua ministra do Meio Ambiente antes de romper com o PT

Com discurso do "nós contra eles", a presidente Dilma Rousseff e o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva criticaram o que a petista chamou de "a eleição mais conflituosa dos últimos anos" em evento na noite desta segunda-feira (20), na zona leste de São Paulo.

O partido reuniu representantes de movimentos sociais, artistas e aliados políticos em apoio à reeleição da presidente. Para uma plateia de militantes, ambos refutaram ataques contra o PT durante a campanha e a postura do concorrente Aécio Neves (PSDB) em debates presidenciais.

Citando programas sociais como o Bolsa Família e o Prouni, Dilma disse que o partido enfrenta "uma verdadeira guerra de comunicação contra aquilo que é a verdade dos fatos neste país".

Ela voltou a dizer que a origem do Bolsa Família não tem origem em programas sociais do governo Fernando Henrique Cardoso (1995-2002), como o Bolsa Escola, por conta do alcance.

"Até nos programas sociais, eles fazem pra muito poucos, porque na origem, no meio e no fim eles são elitistas. Eles são aqueles que não olham o povo, eles são aqueles que só olham para uma minoria", afirmou.

Segundo ela, os adversários promovem "um bando de mentiras colocadas num papel celofane, aparentemente defendendo aquilo que é indefensável".

"Daí porque a conversa tem que baixar o nível, porque é o único nível que eles conseguem disputar de fato e de direito, o que eles condenaram o Brasil e aquilo que fizemos no Brasil", completou.

Lula, que discursou antes de Dilma, também fez críticas ao que chamou de "elite" e disse que, por conta disso, o Congresso eleito está "um pouco pior" que a atual legislatura.

"Você vai ver, presidenta, que o Congresso Nacional eleito agora é um pouco pior que o Congresso Nacional que termina o seu mandato. Pior do ponto de vista ideológico. Foram eleitos mais ruralistas, mais representantes dos empresários menos gente de vocês", disse, dirigindo-se às juventudes militantes.

"É importante a gente ter em conta que o que a elite faz muito bem é negar a política todo santo dia para que vocês não gostem de política", acrescentou.

Debates - Lula disse que ficou "indignado" com as críticas de Aécio a Dilma em debates televisivos, que classificou "agressão" e "cinismo". Segundo ele, o tucano age dessa forma por "ódio ao PT".

Os dois primeiros embates do segundo turno foram marcados por fortes ataques entre Dilma e Aécio. No primeiro deles, após a petista dizer que Aécio entregou as chaves do aeroporto de Cláudio (MG) a um tio, o tucano a chamou de "leviana".Também afirmou que Dilma fazia uma campanha de "inverdades" quando ela afirmou que o adversário empregara "um irmã, um tio, três primos e três primas" no governo de Minas Gerais.

"Vejam que interessante. Vocês nunca viram eu fazer campanha agredindo o adversário. Nunca viram, porque eu sempre achei que a campanha política deve servir para elevar o nível de consciência da sociedade brasileira. Mas eles não pensam assim", discursou o ex-presidente.

"Eu jamais imaginei que um pretenso candidato a presidente da República pudesse chamar a presidenta de mentirosa nas frente das câmeras de televisão. Eu jamais imaginei que ele pudesse chamar a presidenta de leviana", criticou.

"Não é possível que esse rapaz não tenha educação de berço para que sua mãe não tivesse ensinado a respeitar as pessoas mais velhas que ele, respeitar as mulheres, respeitar uma mãe e uma avô, mas sobretudo respeitar uma mulher que está num cargo que é uma instituição, que é a presidência da República", concluiu.

Embora Lula e convidados tenham criticado a imprensa em palanque, o ato foi encerrado com a divulgação do resultado da pesquisa Datafolha, que aponta Dilma à frente de Aécio com 52% das intenções de votos.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave