Obra aguarda desapropriação

Diretor geral do Dnit e ministro dos Transportes realizaram visita técnica a canteiros nesta segunda

iG Minas Gerais | Aline Diniz |

Em construção. Ministro dos Transportes (ao centro) e outras autoridades percorreram novo túnel da 381
FOTOS ALEX DE JESUS
Em construção. Ministro dos Transportes (ao centro) e outras autoridades percorreram novo túnel da 381

Cerca de 3.000 famílias precisarão ser desapropriadas para a obra de duplicação da BR–381, no trecho que vai da capital à cidade de Governador Valadares, no Vale do Rio Doce. O anúncio foi feito nesta segunda pelo diretor geral do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit), Tarcísio Gomes de Freitas, que participou de uma visita técnica às obras da estrada junto com o ministro dos Transportes, Paulo Sérgio Passos. Apesar do processo ainda pendente, o Dnit estima que toda a obra seja finalizada em 2018.

A maior parte das famílias está nos trechos referentes aos lotes 8A e 8B, que vão da capital até o município de Caeté, na região Central, e têm licitação prevista para o próximo mês. De acordo com o Dnit, a partir de novembro deverão ocorrer audiências de conciliação entre o órgão e os moradores. A assessoria do departamento, em Brasília, informou que as desapropriações ficarão a cargo das empresas vencedoras das licitações dos trechos em que a obra ainda não começou. Será delas a responsabilidade de definir os prazos e a realocação dos moradores. “As questões de desapropriações serão tratadas na mesma vara (de Justiça) para facilitar o diálogo, com participação do Ministério Público e da Defensoria Pública”, explicou Freitas. Durante a visita técnica, o ministro Paulo Sérgio Passos vistoriou a construção de um túnel em Antônio Dias, também no Vale do Rio Doce. A estrutura já tem 50% de suas obras concluídas. Em relação ao andamento das obras, Passos se mostrou otimista. “Estamos falando de aproximadamente 330 km (de rodovia). Podemos contar com lotes em estágio avançado de execução, como o túnel do lote três”, disse. O processo de licitação da BR–381 já está quase concluído. A estrada foi dividida em um total de 11 lotes. Somente os lotes 8A e 8B ainda não têm empresa contratada. A licitação desses projetos fracassou duas vezes por não atingir o preço pretendido pelo Dnit. Para o ministro dos Transportes, o trecho tem grande “peculiaridade” e enfrentou dificuldades, como a falta de interesse das empresas em função de esses locais estarem muito próximos da área urbana.

Investimento Duplicação. De acordo com o Dnit, quando todos os lotes da BR–381 estiverem licitados, o investimento será de R$ 3,5 bilhões. Atualmente, esse valor é de R$ 2,05 bilhões.

Saiba mais Acidentes. No primeiro semestre deste ano, a Polícia Rodoviária Federal registrou 1.151 batidas e 59 mortes na BR–381, no trecho entre a capital e Governador Valadares. Em todo o ano de 2013, foram 2.497 acidentes e 126 mortes. Sinalização. Motoristas afirmam que acidentes na BR–381 são provocados pela falta de sinalização nas obras. O diretor geral do Dnit, Tarcísio Gomes de Freitas, disse que a obra está sendo sinalizada e que, muitas vezes, os acidentes são causados por imprudência e ultrapassagens perigosas.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave