Exposição mostra diversidade do trabalho de três amigos artistas

Com inspirações e técnicas diversas, dois franceses e um brasileiro apresentam suas potências

iG Minas Gerais | gustavo rocha |


Trabalho de Aragão se inspira nas formas do Edíficio Niemeyer
JOSÉ CARLOS ARAGÃO/DIVULGAÇÃ
Trabalho de Aragão se inspira nas formas do Edíficio Niemeyer

Eixos curatoriais, muitas vezes, “forçam a barra” para enquadrar o trabalho de artistas diversos sob o mesmo guarda-chuva, unindo obras que aparentemente não se relacionam temática e esteticamente. Não é o caso da exposição “3.57”, que opta por não ter um eixo, e tem abertura nesta terça, na Aliança Francesa. A mostra reúne trabalhos de três artistas: os franceses Thierry Carre e Philippe Enrico e o brasileiro José Carlos Aragão.

Mas, afinal, o que une esses três artistas? “Francamente, eles são amigos e é isso que os une nessa mostra”, comenta o curador Adriano Gomide.

Philippe apresenta quatro telas de acrílico sobre papel, recorte e colagem com gravação a laser; Aragão expõe oito fotomontagens digitais inéditas, da série “Niemeyrianas”, produzidas a partir de 2012, numeradas de 001 a 008; e Thierry, dez pinturas. Os três artistas trabalham em torno de imagens. Aragão usa fotos do Edifício Niemeyer, da praça da Liberdade, Philippe tem uma série específica, chamada “Em Torno, Ilhas”, e Thierry se utiliza de contornos espessos coloridos sobre a tela.

“Thierry constrói sua pintura a partir do próprio ato da aplicação da tinta sobre a tela. Depois de aplicar as primeiras espatuladas, o artista se afasta da tela, observa, reflete e retoma a pintura, completando o que está ‘faltando’. Já a pintura de Philippe é pensada: o artista faz elaboradas construções em torno das imagens de ilhas – tanto as fotográficas quanto as cartográficas – que ele coleciona. Aragão também nos traz algumas questões da produção de imagens, no seu caso imagens derivadas de fotografias da arquitetura de Oscar Niemeyer”, comenta o curador.

Para além da amizades entre os três artistas, no entanto, Gomide vê uma potência que os une em seus trabalhos artísticos. “Acho que existe uma relação direta dos três com a tradição da arte. Thierry é intuitivo e se embrenha nas suas telas. Philippe traz projetos mais elaborados, e o Aragão lida com outras linguagens, como essa aproximação com a arquitetura. Eles convivem com a tradição, mas sem ser uma repetição”, comenta.

Agenda

O quê. Exposição “3.57”, de Thierry Carre, Phillipe Enrico e José Carlos Aragão

Quando. .Abertura nesta terça às 19h. De 22 de outubro a 22 de novembro. Segunda a Quinta , de 8h às 21h; Sexta e Sábado, 8h às 16h30

Onde. Aliança Francesa (rua Tomé de Souza, 1418, Savassi)

Quanto. Entrada franca

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave