Serial killer confesso diz na cadeia que sente falta de matar

Vigilanteque admitiu ter matado 39 pessoas em Goiás ainda pediu bebida aos agentes

iG Minas Gerais |

Tiago confessou 39 mortes
ANDRÉ COSTA/ESTADÃO CONTEÚDO/ARQUIVO
Tiago confessou 39 mortes

SÃO PAULO. Na madrugada desta segunda, o assassino confesso de 39 pessoas em Goiânia afirmou a policiais da Delegacia Estadual de Repressão a Narcóticos, onde está preso desde o dia 14, que “continua com vontade de matar”. A informação foi repassada pelo delegado Eduardo Prado em entrevista à TV Anhanguera, afiliada da Rede Globo em Goiânia.  

Ainda segundo o delegado, o vigilante Tiago Henrique Gomes da Rocha perguntou também se responderia criminalmente caso cometesse um assassinato dentro da cadeia.

Mesmo após declarar que estava arrependido dos crimes, Rocha disse à polícia que foi essa “vontade de matar” que o levou a praticar os assassinatos. Segundo o delegado, o vigilante vem pedindo bebida alcoólica.

Durante a madrugada, Tiago leu 40 revistas, fato que chamou a atenção da polícia. “Outra coisa curiosa é que ele lê de trás para frente de forma rápida, como se fosse dinâmica, lendo em voz alta”, pontua o delegado. “Muito estranhas a atitude e as conversas desconexas que ele vem tendo”, afirmou o delegado.

O advogado do vigilante deixou a defesa dele nesta segunda. Thiago Huáscar Vidal permaneceu à frente do caso, que ganhou repercussão internacional, por apenas sete dias.

Ele disse que desistiu da defesa por divergências no valor dos honorários. “É um caso complexo, que exige tempo e dedicação. Hoje (nesta segunda) a mãe dele me procurou dizendo que não poderia cumprir o pré-acordo porque não possui condições financeiras. Por isso, abandonei a defesa”, afirmou Vidal.

No período em que defendeu o vigilante, Vidal disse que ficou surpreso com os detalhes de cada morte admitida por Rocha à polícia. O homem confessou o assassinato de mulheres, moradores de rua e homossexuais em Goiânia.

“Antes do depoimento, eu o orientei a não produzir provas contra ele mesmo. Mas ele bateu na mesa e disse que falaria, sim, que precisava tirar um peso”, afirmou Vidal. “O homem é doido. Quem em sã consciência vai confessar crime?”

Vaidoso para aparecer nos jornais Goiânia. O advogado Thiago Huáscar, que nesta segunda deixou a defesa do suposto serial killer, disse que nos últimos dias o vigilante pediu diversas vezes para ler reportagens sobre ele. “Nesta segunda (19), um jornal inglês me procurou para uma entrevista. Quando eu comentei o fato, ele disse que tiraria fotos para o jornal, mas que antes precisaria fazer o cabelo e a barba”, disse o advogado. No fim de semana, Huáscar revelou à imprensa que o suspeito tinha interesse em assassinos em série e que “gosta de estar no centro das atenções”. “Este é o momento do serial. Ele queria chamar a atenção de alguma forma e conseguiu, infelizmente foi por sofrimento e sangue”.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave