Ministro defende fala de Dilma sobre autonomia da Polícia Federal

José Eduardo Cardozo, da Justiça, rebateu as acusações de Aécio; tucano tem criticado a presidente, que costuma dizer nos debates que deu autonomia de investigação à PF

iG Minas Gerais | DA REDAÇÃO |

O ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, rebateu nesta segunda-feira (20) as acusações do candidato do PSDB à Presidência, Aécio Neves, associadas à investigação da Petrobras realizada pela Polícia Federal.

Por diversas vezes, o tucano tem criticado a presidente, que costuma dizer nos debates que deu autonomia de investigação à PF. Essa independência da instituição é garantida pela Constituição Federal.

"Há um equívoco nesta crítica. O que a presidente sempre diz é que através de suas nomeações, das suas medidas, ela garantiu autonomia para investigação da Polícia Federal e deu também autonomia ao Ministério Público", citou Cardozo, que esteve na abertura do 22ª Conferência Nacional de Advogados, no Rio de Janeiro.

"Ela não nomeou pessoas que engavetavam processos. Muitas vezes pessoas podem frear instituições", concluiu o ministro.

DEBATE

No debate da Record, neste domingo (19), Aécio afirmou: "Triste de um país onde um presidente manda investigar, isso funcionaria em ditaduras amigas de seu governo", após a presidente dizer que em seu governo as denúncias feitas pelo ex-presidente da Petrobras Paulo Roberto Costa estão sendo apuradas.

Quando confrontada pelo tucano sobre os casos de corrupção no governo petistas, Dilma vem repetindo que, ao contrário do governo do PSDB, ela vem investigando os casos de corrupção. "Eu fico estarrecida com o senhor falando em governança, com todos aqueles escândalos tucanos engavetados", disse na noite de domingo, durante o debate. Ela citou os escândalos da Pasta Rosa, Sivam e o cartel dos trens em São Paulo.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave