Cientistas identificam peixe pré-histórico como primeiro a fazer sexo

Espécime, que viveu há 385 milhões de anos onde hoje é Escócia, inseminava fêmea com apêndice em 'L'; Microbrachius copulava de lado, como numa espécie de dança

iG Minas Gerais | DA REDAÇÃO |

Microbrachius copulava de lado, como numa espécie de dança.
Reproducao / BBC
Microbrachius copulava de lado, como numa espécie de dança.

A ciência pode ter chegado à descoberta da origem do sexo. Isto porque, segundo um grupo internacional de pesquisadores, um peixe pré-histórico, que viveu há 385 milhões anos e media apenas 8 cm, é o primeiro animal que se tem notícia de ter parado de se reproduzir com fertilização externa (em que os peixes inseminam seus ovos fora dos organismos) e começado a copular. As conclusões dos cientistas foram publicadas da revista de ciência Nature e divulgadas pela BBC Brasil.

De acordo com a matéria, o Microbrachius dicki, que vivia em lagos no que hoje é a Escócia, definiu o ponto da evolução em que teve início a fertilização interna nos animais. Segundo John Long, acadêmico da Flinder University, da Austrália, e um dos principais autores do estudo, a descoberta foi feita por acaso.

O estudioso percebeu em fósseis que um dos espécimes do peixe tinha um apêndice em forma de "L", diferentemente de outros, que continham uma espécie de abertura. Esse apêndice era usado para transferir o sêmen para a fêmea.

Além disso, por sua estranha anatomia, o peixe precisava fazer um acasalamento exótico: de acordo com John, o Microbrachius copulava de lado, como numa espécie de dança, em que as barbatanas serviam para dar apoio enquanto o macho introduzia seu membro na fêmea.

O método, porém, não teve sucesso. Os estudiosos acreditam que o peixe voltou a utilizar a inseminação externa (a copulação só voltaria a ocorrer no mundo animal milhões de anos depois, em algumas espécies de tubarões e arraias). 

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave