Bruxismo pode causar dores de cabeça, na mandíbula e até na coluna

Bruxismo afeta os dentes, provocando problemas na gengiva, perda óssea com consequente aumento de mobilidade dos dentes, seu desgaste e fratura, além das dores de cabeça

iG Minas Gerais | DA REDAÇÃO |

Reprodução
undefined

Ao acordar você costuma sentir dor de cabeça ou os músculos da mandíbula doloridos? Se sim, isso pode ser sinal de bruxismo, que é o hábito de ranger os dentes, principalmente no período noturno, e pode atingir todas as faixas etárias e ambos os sexos, ainda que seja mais observado e estudado em adultos.

O bruxismo afeta os dentes, provocando problemas na gengiva, perda óssea com consequente aumento de mobilidade dos dentes, seu desgaste e fratura, além das dores de cabeça, na articulação temporomandibular e até na coluna.

“Não há uma definição exata de como surge o bruxismo, mas algumas causas podem acentuar o aparecimento dele, como o estresse emocional ou físico; disfunção e sobrecarga dos músculos mastigatórios; disfunção na articulação temporomandibular; interferência oclusal; perdas dentárias e patologias das vias aéreas superiores”, explica o especialista em saúde bucal, Dr. Sérgio Kignel.

Quando o bruxismo está relacionado ao sono há o envolvimento de movimentos rítmicos semelhantes aos da mastigação e longos períodos de contração dos músculos mandibulares. Essas retrações normalmente são bilaterais e envolvem forças máximas, apresentando duração suficiente para produzir fadiga e dor muscular.

“O tipo de terapia mais indicado para o alívio dos sinais e sintomas de disfunção da articulação temporomandibular associada ao bruxismo é a utilização de placas interoclusais que são de acrílico ou silicone e usadas pelos pacientes para dormir. Elas protegem os dentes do desgaste provocado pelo problema e reduzem a atividade noturna dos músculos logo após sua colocação”, diz Kignel.

De acordo com o Dr. Sérgio, o uso desta placa também pode ser associado às terapias psicológicas para reduzir a tensão, em sessões de fisioterapias e desgastes seletivos dos dentes para melhorar as condições oclusais.

Em casos mais graves de bruxismo sugere-se a aplicação de Botox na face para diminuir a atividade muscular. Já para o controle dos quadros de estresse e ansiedade, os medicamentos ansiolíticos podem ser úteis no processo. “Um passo importante para tentar curar ou pelo menos diminuir o problema é cortar a tensão psicológica, que pode ser feito por meio de esportes, ioga e exercícios de relaxamento.

É bom ressaltar que não existe um único tratamento, pois cada caso deve ser estudado de modo a receber um procedimento específico. Não falamos em cura, mas sim no controle para evitar ou diminuir suas sequelas.”, fala Kignel.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave