Líder do governo acusa 'forças estrangeiras' de fomentar protestos

Leung Chun-ying afirmou que forças de outros países estavam encorajando as ocupações nas ruas da cidade, mas não quis especificar a origem dessas forças estrangeiras

iG Minas Gerais | DA REDAÇÃO |

O chefe do Executivo de Hong Kong, Leung Chun-ying, acusou "forças estrangeiras" de fomentarem o movimento pró-democracia na cidade, que mantém parte da antiga colônia britânica bloqueada. Chun-ying, que deu a declaração em entrevista no domingo (19), afirmou que forças de outros países estavam encorajando as ocupações nas ruas da cidade, mas não quis especificar a origem dessas forças estrangeiras, de acordo com a Rádio e Televisão Pública de Hong Kong (RTHK).

A imprensa estatal chinesa tem, repetidamente, alegado que "forças contrárias à China", como os Estados Unidos, estão manipulando os manifestantes. Pequim já advertiu para a não ingerência estrangeira nas manifestações que considera um assunto interno.

Chun-ying voltou também a destacar que o movimento pró-democracia está "fora de controle" e pediu uma "solução sensata e pacífica".

Milhares de pessoas em Hong Kong estão nas ruas pela quarta semana consecutiva, em um protesto que pede o voto direto e universal dos eleitores na escolha do líder do governo sem qualquer entrave ou pré-escolha de candidatos por parte do comitê eleitoral, órgão influenciado pela China.