“Falta fiscalização eficaz”, diz CDL-BH

iG Minas Gerais |

A proliferação dos chineses está ligada, segundo a CDL-BH, à falta de fiscalização eficaz. “Eles progridem pela falta de fiscalização”, diz o vice-presidente da entidade, Marco Antônio Gaspar. Esse trabalho é complexo porque envolve diversos órgãos. A Prefeitura de Belo Horizonte informa, por meio da Secretaria de Fiscalização, que checa a existência do alvará de funcionamento e se a atividade exercida está em conformidade com o documento.

De janeiro a agosto deste ano, foram 7.367 vistorias realizadas. Foram emitidas 2.576 notificações e aplicadas 617 multas. O órgão não detalha o tipo de atividade (comércio, serviço, indústria), nem a região da cidade onde as irregularidades foram encontradas.

A fiscalização da origem da mercadoria e dos indícios de subfaturamento deveria ser feita por um conjunto de órgãos de diferentes esferas. As operações que já aconteceram nos shoppings populares envolveram até a Polícia Federal. (APP)

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave