Palmeiras e Santos fazem clássico em nome da honra

Times se enfrentam no Pacaembu, às 16h, com necessidades e posturas diferentes dentro do Brasileirão

iG Minas Gerais | Agência Estado |

Com direito a um estádio do Pacaembu lotado (a expectativa é de que cerca de 32 mil torcedores estejam presentes), Palmeiras e Santos devem protagonizar um clássico eletrizante neste domingo, às 16 horas, pela 29.ª rodada do Campeonato Brasileiro, naquele que pode ser o último "Clássico da Saudade" - como é conhecido esse dérbi - no estádio municipal de São Paulo. Os times entram em campo com necessidades e, provavelmente, posturas diferentes.

No lado verde do jogo, Dorival Júnior quer a vitória para consolidar uma nova fase da equipe e, dependendo de outros resultados, se afastar ainda mais da zona de rebaixamento. O treinador já deixou claro em entrevistas coletivas que não está confortável ainda com a posição da equipe, que começou a rodada com quatro pontos de distância da zona da degola.

Enderson Moreira, técnico do Santos, ainda não jogou a toalha na briga para entrar no G4. A distância é de sete pontos. Portanto, um tropeço neste domingo deixa a situação quase irreversível.

Em comum, o fato de ambos apostarem nos ataques que vivem um grande momento. No Palmeiras, Henrique briga pela artilharia do nacional e tem 13 gols. Seu companheiro, Cristaldo, ganhou a vaga de Leandro e parece ter se tornado o preferido do treinador. O Santos aposta em três atacantes. A estrela Robinho, o oportunista Gabriel e Geuvânio, que deu a volta por cima e voltou a aparecer bem.

A postura das equipes com a bola rolando também deve ser um contraste. A ideia de Dorival Júnior é tentar não acelerar demais o jogo, já que o adversário tem como ponto forte a velocidade de seus atacantes. Valdivia será fundamental para ditar o ritmo da equipe e segurar a bola, como quer o treinador. No Santos, além de colocar velocidade, a ordem é pressionar para abrir logo o placar e transformar o apoio, que o Palmeiras deve ter das arquibancadas, em pressão contra.

Em relação às equipes, outra diferença. Dorival Júnior parece ter encontrado sua “formação ideal” e só tem mexido no time quando existe a necessidade, seja por lesão ou suspensão. Neste domingo, dos possíveis titulares, todos estão à disposição. Juninho e Lúcio sentiram dores musculares, mas devem atuar.

Enquanto isso, Enderson Moreira espera ter encontrado os seus 11 preferidos. Ele escalou 12 formações distintas em 12 jogos no comando do Santos, mas a postura da equipe na goleada por 5 a 0 em cima do Botafogo, na última quinta-feira, no Pacaembu, parece ter agradado ao treinador.

ROBINHO VOLTA - Desta vez, ele só não vai repetir a equipe porque Robinho está de volta da seleção brasileira e tem lugar garantido. Outra mudança é obrigatória. Cicinho cumprirá suspensão pelo terceiro cartão amarelo e Victor Ferraz será o lateral-direito.

Enderson Moreira está preocupado com o desgaste do time que vai disputar dois jogos em três dias, enquanto que o Palmeiras teve a semana inteira para recuperar jogadores, se preparar e descansar. “É um clássico, um jogo especial. Evidente que a equipe que está se preparando a semana toda para esse confronto tem a vantagem”, disse o treinador santista.

Dorival Júnior acredita que a facilidade do jogo que o Santos teve diante do Botafogo não exigiu muito fisicamente dos atletas. “O Santos não teve um jogo desgastante. Foi um jogo trabalhado e com posse de bola”. Apesar da goleada sobre o Botafogo, no Brasileirão o Santos vem de uma derrota (3 a 0) para o Criciúma.  

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave