Esportividade do novo Civic Si vai além das aparências

Com nova carroceria cupê e visual arrojado, esportivo da Honda tem pacote mecânico para apetecer entusiastas

iG Minas Gerais | Raimundo Couto |

Conforto. Espaço é generoso apenas para os que viajam na frente
Fotos Raphael Panaro/CZN
Conforto. Espaço é generoso apenas para os que viajam na frente

Indaiatuba. A Honda mostra com a versão Si do Civic que a tendência de downsizing, na qual se extrai máxima potência em blocos de menor capacidade cúbica, não a apetece. O propulsor 2.4 i-VTEC do esportivo rende 206 cv a 7.000 rpm. O torque aumentou e mostra seu vigor, entregando força, em giros mais baixos. Os 19,2 kgfm a 6.100 rotações passaram para 23,9 kgfm a 4.400 rpm. O motor foi projetado para oferecer uma aceleração forte e linear com baixo consumo e, consequentemente, baixas emissões de poluentes. Acoplado ao bloco só há a opção da transmissão manual de seis marchas. O cupê de tração dianteira traz ainda o auxílio de um diferencial autoblocante (LSD) – para uma melhor distribuição de força entre as rodas. Impressões. A apresentação do Civic Si aconteceu na pista particular da fazenda Capuava, em Indaiatuba (SP). Hábitat ideal para tentar domar a fera. Escolhemos um Si na chamativa cor perolizada Laranja Fire. Ao entrar no carro, logo o visual interno também instiga. Os bancos com costuras vermelhas, o painel, as pedaleiras esportivas e o câmbio manuseado por uma alavanca curta, convidam, por si só, o motorista a experimentar uma tocada diferente. O barulho do motor de 206 cavalos é comportado e como um bom propulsor de aspiração natural, ele arranca dócil, e, à medida que se pisa com mais força no pedal direito, o giro sobe, e ele responde com precisão. Basta atingir os 4.000 rpm para começar a “mostrar as unhas”, e assim que a luz vermelha se acende à esquerda do velocímetro digital, junto com outro grupo de luzes, é hora de trocar as marchas, sem necessidade de desviar o olhar da pista. Estável e de suspensão firme, o Si contorna as curvas do circuito sem demonstrar insegurança, e, se por ventura o condutor se entusiasmar, o controle de estabilidade também está lá para garantir a volta ao traçado. As suspensões seguem a conhecida receita do Civic: independente nas quatro rodas (McPherson nas dianteiras, multibraços nas traseiras). Geralmente, esportivo não combina com conforto. No Civic Si não é bem assim. A suspensão é macia no rodar, e os bancos “abraçam” o condutor. E com bons apoios laterais, o corpo não escorrega a cada curva mais fechada. O jornalista viajou a convite da Honda

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave