Não há arte brasileira sem o Nordeste

Artistas contemporâneos mostram relevância da região para nossa cultura

iG Minas Gerais |

O ator Marco Nanini,
frededirco rozario/divulgação
O ator Marco Nanini,

Após o primeiro turno das eleições no último dia 5, um ritual que infelizmente tem se tornado comum nos últimos anos se repetiu na internet. Manifestações xenófobas e separatistas inundaram as redes sociais, atacando o Nordeste por resultados e candidatos eleitos que não agradam a grupos do Sul e Sudeste do país, o chamado Sul Maravilha.

O conteúdo dessas manifestações tem duas faces. Por um lado, elas ressaltam a visão de um Nordeste que, por muito tempo, foi abandonado, ignorado e nanificado econômica e socialmente. Por outro, elas ignoram que, mesmo sob essas adversidades, a região é berço de alguns dos maiores artistas e exemplares da produção cultural brasileira. Gonzagão, Ariano Suassuna, Glauber Rocha, Renato Aragão, Jorge Amado, Chica Xavier, Raul Seixas, Marco Nanini, José Wilker, Chacrinha, Chico Anysio, Nelson Rodrigues e Rachel de Queiroz são alguns dos vários artistas com quem o Brasil tem uma dívida incomensurável.

Para celebrar essa contribuição e destacar como ainda hoje é impossível dissociar a cultura brasileira do Nordeste, o Magazine foi atrás de quatro nomes contemporâneos de destaque no cinema, literatura, música e teatro, que provam como a região continua sendo um dos berços mais prolíficos e originais da arte nacional.

 

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave