Shows de bandas nacionais e estrangeiras reúnem 20 mil pessoas em BH

Evento aconteceu na Esplanada do Mineirão e contou com a participação de Titãs, Nação Zumbo, Panic At The Disco e Linkin Park

iG Minas Gerais | LUCAS SIMÕES |

Evento também contou com a Copa Brasil de Street Skate
Moisés Silva
Evento também contou com a Copa Brasil de Street Skate

Depois de uma edição caótica em 2013, o 2º Circuito Banco do Brasil desembarcou na capital mineira sem registro de confusões e com um público bem mais satisfeito. Ao todo, cerca de 20 mil pessoas lotaram a Esplanada do Mineirão neste sábado (18) para acompanhar shows das bandas Nação Zumbi, Titãs e, principalmente, os americanos do Panic At The Disco e Linkin Park, que pela primeira vez se apresentaram na capital e levaram o público ao êxtase.

Os fãs mais animados começaram a chegar ao Mineirão a partir do 12h, mesmo com o primeiro show marcado para as 16h50. Ao invés de um trânsito travado e confuso do ano passado, mais de 4 mil veículos conseguiram chegar a região da Pampulha sem enfrentar congestionamentos ou retenções, segundo a Empresa de Trânsito e Transporte de Belo Horizonte (BHTrans). 

Por outro lado, o calor que bateu os 32º na tarde desse sábado castigou a plateia - pelo menos três pessoas tiveram queda de pressão e precisaram de atendimento médico em um dos seis postos montados no festival.

A solução para driblar o sol escaldante foi permitir que vendedores ambulantes pudessem circular entre o público mais próximo das grades, o que não aconteceu na edição passada.

"Ano passado eu vim e, além de ser impossível comprar bebida e comida porque os bares estavam lotados sempre, a cerveja e a água ainda acabaram antes do fim dos shows. Desta vez não. Fiquei na grade e estou conseguindo me hidratar para esperar o Linkin Park", disse a estudante Camila Fernandes, 27.

Com 230 seguranças e 230 banheiros espalhados pela Esplanada do Mineirão, além de seis praças de alimentação concentradas próximo ao palco, não houve registros de confusões, segundo a Polícia Militar (PM), ou filas para a compra de bebidas e comida.

No fim da tarde, ainda com público tímido, os cariocas do Stereophant subiram ao palco mostrando um rock n' roll de guitarras pulsantes. Na sequência, a Nação Zumbi trouxe seus característicos tambores de maracatu para dar vida às canções do disco novo. Liderada pelo emblemático vocalista Jorge DuPeixe, quem roubou a cena foi o guitarrista Lúcio Maia, em uma interpretação elétrica, repleta de poses e interação quase cênica com a plateia.

O festival ainda teve os roqueiros do Titãs tocando as canções de "Nheengatu", último álbum do quinteto paulista. Os shows mais aguardados, porém, foram do trio americano Panic At The Disco e da banda Linkin Park, que alucinou a plateia com a mistura de rock, rap e samplers envolventes.   Antes dos shows, o skatista Kelvin Hoefler, 21, de Los Angeles, faturou R$11 mil ao vencer a Copa Brasil de Street Skate, que pela primeira vez aconteceu na capital mineira, paralelamente ao Circuito Banco do Brasil.