Marina sobe em palanque no Pará em apoio a Aécio e critica Dilma

Segundo ex-candidata, presidente teve uma chance e não cumpriu com os compromissos que assumiu

iG Minas Gerais | DA REDAÇÃO |

A ex-candidata do PSB à Presidência da República, Marina Silva, participou na manhã deste sábado (18) de um evento de adesão à campanha do candidato à reeleição ao governo do Pará, Simão Jatene (PSDB), em um parque ecológico de Belém.

Marina disse apoiar o tucano devido ao compromisso do candidato com a redução do desmatamento e com o desenvolvimento sustentável no Estado. Marina lembrou que, quando era ministra do Meio Ambiente, Jatene, então governador, foi um dos poucos que apoiou seu plano de combate ao desmatamento na Amazônia. "Jatene, eu estou aqui porque já nos encontramos muito tempo atrás e você já me ajudou. Com certeza perdendo popularidade, comprando brigas internas para ajudar a proteger a Amazônia".

Ela afirmou também que tem "fé em Deus e no povo do Pará" de que Jatene irá se reeleger. Ao lado de lideranças locais da Rede Sustentabilidade, partido que tenta fundar, e políticos do PPS, PSB e Solidariedade, Marina falou ainda sobre seu apoio a Aécio Neves na corrida à Presidência.

"A Dilma já teve uma chance e não cumpriu com os compromissos que assumiu. Quem ainda não teve uma chance foi o candidato do PSDB", disse. "Ele se comprometeu em manter o Bolsa Família, se comprometeu em fazer demarcação de terras indígenas, se comprometeu com a agricultura familiar para que os pequenos tenham crédito e assistência técnica para produzir alimentos para o Brasil, se comprometeu com uma agenda para o bem do Brasil. Foi diante desse compromisso que eu declarei o meu apoio", afirmou a ex-candidata.

Simão Jatene, que disputa o Executivo estadual com o candidato do PMDB Helder Barbalho, afirmou que "nós somos capazes de superar as nossas diferenças porque o que nos une são determinadas causas, como ética e moral, para que nós tenhamos uma sociedade mais justa e mais fraterna".

Centenas de pessoas acompanharam o evento em Belém. Apesar da resistência dos seguranças, muitas se aglutinaram em volta de Marina na tentativa de fazer uma foto com a ambientalista. Ela ganhou ainda um busto seu produzido com material reciclado de um artista local.

Críticas ao PT

Em seu discurso, Marina disse que foi vítima da campanha "mais mentirosa e agressiva" que já viu na história do país.

"As mesmas mentiras e preconceitos que o Collor usou contra o Lula foram usadas três vezes mais, sem dó e sem piedade, contra mim. Nunca imaginei que, depois de tantos anos, os mesmos preconceitos seriam usados pelo PT contra mim", afirmou, citando as eleições presidenciais de 1989, quando Lula perdeu a disputa para Fernando Collor.

Ela falou ainda que a presidente Dilma promoveu retrocessos na demarcação de terras indígenas, no combate ao desmatamento, no assentamento de agricultores familiares e na economia, e que essa é a primeira vez que um presidente vai entregar o país em situação pior da que encontrou. "A Dilma vai entregar um Brasil pior para o Aécio", afirmou.

No Pará, a campanha para o governo do Estado é marcada pela troca de acusações entre os candidatos Simão Jatene e Helder Barbalho, que tem o apoio da presidente Dilma e do ex-presidente Lula. No primeiro turno, Barbalho obteve 49,88% dos votos, ante 48,48% de Jatene. O cenário eleitoral no Estado continua indefinido. 

 

Folha Press

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave