Rebeldes matam 23 pessoas em vilarejo do Congo

Amisi Kalonda, administrador do território de Beni, disse que não sabe se o ataque foi cometido pelas ADF, única milícia ativa na região

iG Minas Gerais | DA REDAÇÃO |

Vinte e três pessoas, em sua maioria mulheres e crianças, foram mortas na noite desta sexta-feira (17) no leste da República Democrática do Congo, 48 horas depois de outra matança com as mesmas características, informou neste sábado (18) uma fonte oficial congolesa.

O massacre ocorreu em Eringeti, a cerca de 50 km da cidade de Beni, na província de Kivu do Norte, onde os rebeldes ugandeses da Aliança de Forças Democráticas (ADF, na sigla em francês) mataram na quinta 26 pessoas a golpes de facão.

Amisi Kalonda, administrador do território de Beni, disse que não sabe se o ataque foi cometido pelas ADF, única milícia ativa na região. Segundo a ONG Sociedade Civil de Kivu do Norte, com sede em Beni, a matança ocorreu entre 19h e 21h30.

"As pessoas foram mortas principalmente com golpes de facão, machado e enxada", indica essa organização em um comunicado. 

Em duas semanas, "pelo menos 79 pessoas foram executadas barbaramente pelas ADF", acrescenta o texto, que pede aos capacetes azuis da Missão da ONU no Congo (Monusco) que "ajam militarmente junto com o Exército, e não se limitem a um apoio logístico, para acabar definitivamente com esses terroristas".

FOLHAPRESS

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave