Seca e calor recorde mudam paisagem no interior de SP

A falta de chuvas aumentou o número de queimadas e achatou também os lucros no campo, devido aos reflexos em regiões que exploram o turismo às margens de rios e represas

iG Minas Gerais | DA REDAÇÃO |

Córregos secos, terra rachada, florestas em chamas e até barragem improvisada com sacos de areia. A estiagem e o calor recorde que atingem São Paulo em 2014 alteraram a paisagem de municípios do interior e geraram problemas no abastecimento de água.

A falta de chuvas aumentou o número de queimadas e achatou também os lucros no campo, devido aos reflexos em regiões que exploram o turismo às margens de rios e represas.

Em Guaraci, por exemplo, o local em que funcionava uma prainha no reservatório da Usina de Marimbondo está praticamente seco. As 600 casas próximas ao reservatório estão praticamente vazias.

Com o rio Canoas com baixa vazão mesmo após a construção de uma barragem improvisada com sacos de areia, a Sabesp está utilizando também 32 caminhões-pipa para abastecer Franca. Mesmo assim, faltou água na cidade nesta terça-feira (14).

Em Ribeirão Preto, onde a temperatura atingiu 40,2ºC nesta terça-feira, segundo o Inmet (Instituto Nacional de Meteorologia), fiéis participaram de três missas na catedral para pedir chuva que ainda não apareceu como o necessário.

A terra rachada devido à seca se transformou em cenário comum em cidades como Casa Branca, Serrana e Santa Rita do Passa Quatro, entre outras.

Com a estiagem, ao menos 2,77 milhões de pessoas de 25 municípios já vivem oficialmente sob racionamento de água, número 32% superior ao de agosto, quando levantamento da reportagem apontou que 2,1 milhões de habitantes viviam sob rodízio em 18 cidades.

O problema atinge cidades que captam água de rios, lagoas, represas, córregos, reservatórios e até mesmo poços subterrâneos.

CALOR Nesta terça-feira (14), pelo sete municípios do interior do Estado registraram temperaturas superiores aos 40ºC, segundo dados do Inmet. Além de Ribeirão Preto, ficaram acima da marca Valparaíso, com 40,6ºC, Lins (40,5ºC), Barretos (40,3ºC), Pradópolis (40,2ºC), Barra Bonita (40,1ºC) e José Bonifácio (40ºC).

Em todos os casos, as temperaturas desta terça correspondem a mais elevada desde o início da medição no local, que varia entre 2006 e 2010.

Algumas cidades não superaram o índice, mas mesmo assim atingiram novos recordes de calor, como São Simão e Franca.

Em ambas, foram quebrados os recordes de temperatura máxima dos últimos 53 anos, ou seja, desde o ano da abertura das estações, em 1961.

Em São Simão, a máxima foi de 39,5ºC , superando os 39,2ºC de outubro de 2012, enquanto em Franca a máxima alcançou 36,2ºC, superando o recorde de 35,6ºC registrado na última segunda (13).

FOLHAPRESS

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave