Levantamento expõe desconhecimento

Entre os pais, 69% afirmaram estimular os filhos a evitar o pior horário do sol

iG Minas Gerais | Raquel Sodré |

A pesquisa realizada pela Sociedade Brasileira de Dermatologia Regional São Paulo é um estudo inédito no Brasil. O estudo revelou que, além de dúvidas sobre exposição de crianças ao sol, teoria e prática de proteção contra o sol não andam juntas.  

Dos 980 entrevistados, 58% dos pais e 57% dos educadores afirmaram que a exposição excessiva ao sol na infância pode levar ao câncer de pele, mas não reaplicam o produto nas crianças.

Entre os pais, 69% afirmaram estimular os filhos a evitar o pior horário do sol. Mas 45% dos professores deixam os alunos expostos ao sol nos piores horários ou o dia todo, e 29% deles afirmaram nunca ter estimulado a proteção solar entre os alunos.

A pesquisa mostrou também que um terço dos pais não considera necessária a proteção fora da praia, e 38% desconhece a necessidade nos dias nublados. 

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave