Há quem esteja se reservando mais

Ela dá o exemplo de um homem de 65 anos que tinha o sonho de ser uma estrela do rock e ainda passa horas tocando guitarra no porão de casa

iG Minas Gerais | Kate Murphy |

Nova York. Estudiosos da privacidade afirmam que estão começando a ver sinais de revolta. As pessoas estão começando a ser um pouco mais reservadas na internet ou estão adotando táticas.  

Esses pequenos atos de revolta podem incluir a criação de diversas identidades falsas, o uso de redes virtuais privadas para proteger seu comportamento, ou não “curtir” nada no Facebook, nem seguir ninguém no Twitter, diminuindo a capacidade de estabelecer sua identidade virtual.

“Quando as pessoas querem privacidade, muitos têm essa ideia de que elas estão querendo esconder alguma coisa, mas a verdade é que elas só querem salvaguardar sua individualidade”, afirmou Christena Nippert-Eng, professora de sociologia do Instituto de Tecnologia de Illinois.

Ela dá o exemplo de um homem de 65 anos que tinha o sonho de ser uma estrela do rock e ainda passa horas tocando guitarra no porão de casa. “Ele não quer que ninguém descubra isso, porque não quer perder o prazer no que faz”. 

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave