Edcarlos rechaça status de herói: "jogo em uma função de cobrança"

Autor do gol que selou a classificação para as semifinais da Copa do Brasil, zagueiro exalta a atenção para os próximos jogos

iG Minas Gerais | JOSIAS PEREIRA |

Edcarlos recebe apoio de Eduardo Maluf em apresentação no Atlético
WEBREPÓRTER/SUPERFC
Edcarlos recebe apoio de Eduardo Maluf em apresentação no Atlético

Uma noite de sonho. Quando o cronômetro presente no telão do Mineirão apontava 40 minutos do segundo tempo, Edcarlos foi para a área mentalizando aquele que seria o gol da classificação alvinegra às semifinais da Copa do Brasil. Nas palavras do jogador, um filme passou em sua mente e nas cenas estava até mesmo sua filha, de apenas quatro anos.

"Todo o escanteio, eu vou sempre mentalizando o gol. Por coincidência, eu olhei no placar e estava nos 40 minutos. Pensamento positivo traz coisas positivas. Veio na cabeça minha esposa, minha filha, que sempre pergunta se eu fiz gol até quando eu não jogo. Felizmente eu fiz o gol, e pude falar para ela que marquei desta vez", contou.

Mas o status de herói não ilude o jogador alvinegro. Para ele, a vida de zagueiro está sempre sujeita a altos e baixos, ainda mais no seu caso. Edcarlos chegou ao clube desacreditado, com uma alta taxa de rejeição da torcida, mas aos poucos ele foi conquistando seu espaço e hoje é dono da faixa de capitão.

"Herói nada, não existe vida de herói no futebol. Foi uma noite iluminada para toda a equipe. Fico mais feliz não pelo meu gol, mas sim porque o time teve um equilíbrio muito positivo depois que tomamos o gol", disse. 

"Jogo em uma função que requer muita atenção, de muita cobrança. A gente tem que estar sempre atento. Você pode fazer 80, 85 minutos bem, mas uma jogada ruim põe seu trabalho em xeque mais uma vez. Por isto, a gente tem que ter esta mentalidade, tranquilidade, que no final tudo acaba bem", concluiu Edcarlos. 

Leia tudo sobre: AtleticoGaloEdcarlos