Passageiro faz comentários homofóbicos e é retirado de voo em Confins

De acordo com relatos de testemunhas, o passageiro teria se identificado como jornalista e ofendido alguns cariocas que estavam no avião

iG Minas Gerais | Jhonny Cazetta |

Após comentários homofóbicos, um passageiro foi retirado de um voo no Aeroporto Internacional Tancredo Neves, em Confins, na região metropolitana, na manhã desta sexta-feira (17).  A situação teria ocorrido por volta das 7h, quando o homem havia acabado de embarcar em um avião da Gol Linhas Aéreas, com destino ao Rio de Janeiro.

De acordo com relatos de testemunhas, o passageiro teria se identificado como jornalista e começado a ofender alguns cariocas que estavam no avião. “O que foi nos passado é que ele começou a falar algumas palavras de baixo calão em italiano e até mesmo em português. Chegou a dizer que os cariocas eram homossexuais e causou muito tumulto”, disse um funcionário do aeroporto, sob anonimato, que também informou que por conta do acidente o voo atrasou por cerca de 30 minutos.

Diante do ocorrido, os comissários a bordo teriam pedido várias vezes que o homem se acalmasse e respeitasse os outros passageiros. Como isso não foi possível, o comandante do voo então acionou a Polícia Federal (PF), que o retirou da aeronave.

Liberado

Após ser ouvido pela PF, o homem foi liberado. De acordo com a assessoria de imprensa do órgão, o passageiro “não praticou crime nem ato que atentasse contra a segurança do voo” e também não apresentou resistência para sair da aeronave. Sendo assim, nenhum inquérito foi instaurado sobre o caso.

Em nota, a Gol informou que após o incidente o voo seguiu normalmente e que a continuidade do passageiro comprometia “a segurança e a ordem a bordo”. A companhia salientou “que cumpre rigorosamente procedimentos e normas regulatórias internacionais que regem o setor aéreo”, mas não confirmou o atraso de 30 minutos e nem se o passageiro foi realocado em um outro avião posteriormente.

A identidade do homem foi mantida em sigilo pela Gol e PF.

Leia tudo sobre: vootumultoconfinshomofobicoscomentáriosrio de janeirobelo horizonte