Quadrilha especializada em roubo a residências é presa em Lagoa Santa

Grupo vai responder pelos crimes de formação de quadrilha e roubo circunstanciado, quando há emprego de arma de fogo e envolvimento de duas ou mais pessoas na ação

iG Minas Gerais | Fernanda Viegas/Cínthia Ramalho |

Uma quadrilha especializada em roubo a residências em Lagoa Santa, na região metropolitana de Belo Horizonte, foi desmantelada, após uma investigação de um mês, e os seis integrantes foram apresentados à imprensa nesta sexta-feira (17).

De acordo com o delegado Daniel Balthazar, dois roubos a casas de luxo em julho deste ano impulsionaram as investigações sobre o grupo. O primeiro deles foi no bairro Jardim Ipê. Segundo Balthazar, quatro homens e uma mulher abordaram o dono de uma casa, quando ele chegava à noite. Depois disso, quatro pessoas da mesma família foram rendidas e as vítimas ficaram amarradas e sofreram ameaças com arma apontadas para a cabeça. Neste dia, os criminosos levavam jóias, televisões, celulares, roupas de marca, perfumes, dinheiro e um veiculo, modelo Uno Vivace.

Uma semana depois, a polícia registrou um segundo assalto no bairro Recanto do Poeta. Desta vez, as vítimas foram sete pessoas de uma família, sendo uma criança, que também foram amarradas e ameaçadas com arma apontada para a cabeça. Os bandidos levaram jóias, televisões, dinheiro e dois carros.

Por meio das características dos suspeitos, a Polícia Civil fez a ligação entre os crimes e descobriram que era uma quadrilha de Justinópolis. No início de agosto foram presos J.T. C., 22, D.J.S., 20, D.R.A., 20, e M.G.S.M., 23. Porém, aconteceram mais dois roubos nos bairros Lundcéia e Acadêmico Nilo Figueiredo, que foram cometidos, segundo as investigações por W.C.S., 23.

Foragido, ele voltou a atuar na região com outro comparsa, S.S.B.S., 26. No mês passado, este foi preso em flagrante, tentando roubar uma casa em Venda Nova. Ele já usava tornozeleira eletrônica. Já W. foi detido no dia 31, em uma blitz de trânsito. Ele estava em um carro clonado e roubado.

Dois seis integrantes da quadrilha, apenas dois não tinham passagem pela polícia. Os outros têm por roubo. O grupo vai responder pelos crimes de formação de quadrilha e roubo circunstanciado, quando há emprego de arma de fogo e envolvimento de duas ou mais pessoas na ação.

Leia tudo sobre: quadrilharouboresidênciasapresentação