Poder e sedução presentes em jogo cênico

Com Bárbara Paz e André Garolli, “Vênus em Visom” traz versão brasileira para premiado texto de Andre Ives

iG Minas Gerais | gustavo rocha |

Por sua atuação no trabalho, Bárbara foi indicada aos prêmios Shell e APTR
LEO AVERSA / divulgação
Por sua atuação no trabalho, Bárbara foi indicada aos prêmios Shell e APTR

Traduções e montagens de bem sucedidos textos gringos parecem ser uma nova moda no teatro, principalmente aquele feito por atores conhecidos por seus trabalhos na TV. É esse o caso de “Vênus em Visom”, do dramaturgo norte-americano Andre Ives, cuja versão brasileira chega neste fim de semana ao teatro Sesiminas.

“O texto é muito bom, contemporâneo, de um humor inteligente e sarcástico”, comenta Bárbara Paz. Em cena, ela vive Wanda, uma atriz que chega atrasada para o último teste de uma peça de teatro. A partir daí, ela e o diretor (André Garolli) vivem um eletrizante jogo que ultrapassa os limites entre fantasia e realidade, sedução e poder.

“Toda atriz já passou por essa situação, e todo mundo já teve um jogo parecido de poder e sedução. São situações que não envelhecem. Claro, mudamos, aceleramos muito, mas tem alguns paradigmas difíceis de quebrar”, filosofa a atriz.

Na versão americana, a atriz que interpreta Vênus foi premiada com o Tony Awards. Seria uma grande responsabilidade, Bárbara? “Somos de culturas diferentes. Não se pode pensar assim, e, sim, dar uma vida nova a essa personagem. Tentei criar a minha Wanda, o seu papel dentro do jogo. Não é uma imitação. Estamos falando de coração, de teatro”.

Ela ainda faz um paralelo entre o texto e o papel da mulher na sociedade. “Como essa mulher age? O que ela faz numa situação de humilhação? Como ela lida com esse jogo de poder?”, indaga.

A direção é de Hector Babenco, com quem a atriz reedita a parceria do premiado espetáculo “Hell”. “Nosso encontro é muito bom, muito criativo. O Hector gosta muito da improvisação, do novo, da brincadeira sem pretensão. E eu sou um prato cheio, gosto de inventar, testar e improvisar. Então, temos uma bela parceria mesmo”, garante ela.

Serviço. “Vênus em Visom”, amanhã, às 21h, e domingo, às 19h, no Teatro Sesiminas (rua Padre Marinho, 40, Santa Efigênia). Ingressos: R$ 80 (inteira)

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave