Presos com 234kg de cocaína são condenados por tráfico internacional

A tentativa de fuga foi interrompida quando a PF conseguiu abalroar a cauda do avião com uma caminhonete

iG Minas Gerais | Da Redação |

Cinco pessoas foram condenadas pelo crime de tráfico internacional de drogas. De acordo com o Ministério Público Federal (MPF), dois dos condenados, Bruno Santos Gerheim e José Benedito Lopes de Faria, já estão presos; Arsênio Antônio dos Reis está foragido. Os outros dois réus, Amauri Moura Silveira e Evandro Geraldo Rocha dos Reis tiveram a pena de prisão substituída por prestação de serviços à comunidade e poderão recorrer da sentença em liberdade.

De acordo com a denúncia, a Polícia Federal flagrou um avião Cessna Aircraft transportando 234 quilos de cocaína em 8 de março de 2013, em uma pista de pouso clandestina, paralela à BR-364, em Santa Vitória, na região do Triângulo Mineiro. A droga foi trazida de Xinguara, no Pará, por Evandro Rocha, piloto, e Amaury Silveira, co-piloto.

Os policiais federais prenderam José Benedito, Arsênio e Bruno, que estavam dentro de uma caminhonete aguardando a chegada da aeronave. Ao perceberem a chegara dos policiais os envolvidos tentaram escapar do flagrante. Amaury, que estava descarregando as mochilas com cocaína, voltou para dentro do avião e o piloto começou a decolar. A tentativa de fuga foi interrompida quando a PF conseguiu abalroar a cauda do avião com uma caminhonete.

Em depoimento, o experiente piloto Evandro Geraldo Rocha, em Tucumã/PA, contou que lhe ofereceram 30 mil reais para transportar a droga do Pará até o Triângulo Mineiro, e tanto ele quanto seu co-piloto, Amaury Moura Silveira, afirmaram desconhecer o contratante. No entanto, documentos e objetos apreendidos indicaram a origem da droga: foram encontrados recibos e moeda boliviana, cartões telefônicos de empresas bolivianas e paraguaias, cartão de táxi do Paraguai e até um cupom de supermercado de uma cidade boliviana.

Ainda segundo a denúncia do MPF, foi apreendido um GPS e em seu histórico havia pistas de pouso clandestinas na Colômbia e Venezuela. Outros objetos apreendidos também demonstram constantes viagens dos réus por territórios estrangeiros. Tudo isso aliado à espécie e quantidade da droga, bem como ao modo de transporte utilizado, foram consideradas pelo Juízo Federal suficientes para demonstrar a “internacionalidade do tráfico de entorpecentes”.

Inclusive, dois dos condenados já respondem a outras ações por tráfico de entorpecentes. José Benedito Lopes Faria, que portava documentos falsos por estar foragido, responde a um processo por tráfico na comarca de Marília/SP e Bruno Gerheim já foi condenado a um pena de 8 anos de prisão, na cidade de Juiz de Fora/MG.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave