Gestões públicas são desaprovadas

Para o engenheiro Francisco Magalhães da Rocha, especialista em trânsito e transporte, a ausência de um cronograma de gestão rodoviária é a principal causa dos problemas

iG Minas Gerais | Luiza Muzzi / Leticia Simões |

Um dos pontos evidenciados pela Pesquisa CNT de Rodovias de 2014 é a discrepância entre a qualidade de rodovias geridas por governos e as que foram privatizadas. Em Minas, 61,9% da quilometragem sob poder de concessionárias foi avaliada positivamente, contra 27,7% dos trechos sob gestão pública.  

Para o engenheiro Francisco Magalhães da Rocha, especialista em trânsito e transporte, a ausência de um cronograma de gestão rodoviária é a principal causa dos problemas. Segundo ele, mesmo com baixo uso, o asfalto sofre com as ações do tempo, e deixar de fazer a manutenção na hora exata só torna os gastos ainda maiores. “As estradas privatizadas são obrigadas por contrato a dar um nível de tratamento na via, o que prolonga a vida do pavimento”. 

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave