Jogadores atleticanos "esquecem" Jô e pedem foco no Corinthians

Para os atletas, situação tem que ser definida pela diretoria; importância do duelo desta quarta não pode ser limitada a problemas extra-campo

iG Minas Gerais | JOSIAS PEREIRA |

Para Luan, futuro de Jô precisa ser definido pela diretoria sem interferência dos jogadores
BRUNO CANTINI/ATLÉTICO
Para Luan, futuro de Jô precisa ser definido pela diretoria sem interferência dos jogadores

O Atlético vive uma de suas melhores fases na temporada. A equipe é dona da melhor campanha do returno do Campeonato Brasileiro, está na quarta posição da tabela, e encara nesta quarta-feira uma partida que vale vaga na semifinal da Copa do Brasil. Apesar disto, o assunto que tem movimentado a Cidade do Galo é mais um ato de indisciplina do atacante Jô. Na tarde desta terça-feira, os jogadores alvinegros voltaram a ser questionados sobre o "sumiço" do centroavante, mas a impressão que se deu durante as coletivas é que o Galo precisa seguir em frente com ou sem a presença do atacante.

Pelo menos esta foi a avaliação do goleiro Victor. Segundo o arqueiro, os jogadores precisam estar focados na partida decisiva contra o Corinthians, nesta quarta-feira, às 22h, no Mineirão.

"A gente sabe da qualidade, da importância do Jô, mas não podemos ficar lamentando tudo que está acontecendo. Temos que dar força para aqueles que vão entrar em campo, motivá-los dentro das nossas condições. Ficar lamentando não vai adiantar nada. Lamentações ficam para quem está fora de campo. Para quem está em campo fica a certeza de que vamos tentar de tudo para mudar esta situação", disse.

A visão do atacante Luan também não é diferente. O jogador preferiu deixar a situação nas mãos da diretoria alvinegra. "Cada um tem sua autocrítica, a gente não tem que pensar neste fato do Jô. Ele tem a responsabilidade dele, a diretoria tem que conversar com ele. Aqui todo mundo se respeita, e quem tiver aqui tem que dar o seu melhor e esquecer aquele que não vai treinar. Até fico sem palavras porque cada um tem a sua vida particular e eu não posso me intrometer", apontou.

Uma reunião entre o presidente Kalil, o diretor de futebol Eduardo Maluf e o técnico Levir Culpi deverá decidir o futuro do jogador alvinegro ainda nesta terça-feira. Com contrato até maio de 2016, o jogador não marca gols há 22 jogos. 

Leia tudo sobre: ATLÉTICOgalocampeonato brasileiroproblemasfococorinthianstimãocopa do brasil