Número de dívidas renegociadas caiu 1,64% em setembro

Segundo o SPC Brasil, a diminuição das renegociações é reflexo do baixo crescimento da economia, da inflação próxima do teto da meta e do aumento dos juros nos últimos meses

iG Minas Gerais | DA REDAÇÃO |

LEO LARA 01/06/2011
undefined

Os consumidores brasileiros estão renegociando menos as dívidas atrasadas. Segundo pesquisa divulgada nesta quarta-feira (15) pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) e pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL), o total de débitos regularizados recuou 1,64% em setembro na comparação com o mesmo mês do ano passado.

De janeiro a setembro, o número de pendências quitadas apresenta queda de 1,12% em relação ao mesmo período do ano passado. Segundo o SPC Brasil, a diminuição das renegociações é reflexo do baixo crescimento da economia, da inflação próxima do teto da meta e do aumento dos juros nos últimos meses. Para a entidade, esses fatores pioram a capacidade do consumidor de pagar os débitos em dia e recuperar as dívidas em atraso.

Na comparação mensal, o total de consumidores que retiraram o nome do cadastro de devedores também caiu. As exclusões de pessoas inadimplentes do banco de dados do SPC Brasil diminuíram 0,11% em setembro na comparação com agosto. A queda foi um pouco mais modesta do que em agosto, quando o indicador caiu 2,92%. De acordo com o SPC Brasil, o pagamento antecipado do décimo terceiro salário a aposentados e pensionistas e os feirões de renegociação ajudaram a atenuar a queda em setembro.

Para os próximos meses, o SPC Brasil espera que as regularizações de dívidas voltem a subir. Segundo a entidade, muitos consumidores usarão a parcela do décimo terceiro para quitar dívidas e poderem comprar a prazo no Natal.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave