Anistia Internacional repudia morte de adolescentes no Rio

Entidade pede a investigação rápida e independente dos homicídios e a implementação imediata de políticas públicas que possam reverter esta “triste realidade brasileira”

iG Minas Gerais | DA REDAÇÃO |

Diante da morte de cinco adolescentes na segunda-feira (13), na Baixada Fluminense, a Anistia Internacional manifestou repúdio à violência indiscriminada que atinge jovens brasileiros, principalmente moradores de favelas e bairros de periferia. A entidade pede a investigação rápida e independente dos homicídios e a implementação imediata de políticas públicas que possam reverter esta “triste realidade brasileira”.

“Está na hora de o país se indignar com as mortes de seus jovens e romper com a indiferença e a impunidade que permeiam esses crimes, especialmente quando ocorrem em favelas e periferias”, ressalta a organização.

Os adolescentes foram atingidos por tiros disparados por homens encapuzados, que estavam dentro de um carro. As vítimas tinham entre 12 e 18 anos. Três delas morreram no local, duas no hospital e apenas um garoto de 12 anos sobreviveu e está internado no Hospital Estadual Adão Pereira Nunes, em Saracuruna.

De acordo com a Anistia Internacional, o Brasil está entre os países com o maior número de homicídios do mundo. Foram 56 mil casos em 2012, sendo 30 mil mortes de jovens com idade entre 15 e 29 anos. O homicídio foi também a principal causa da morte entre adolescentes (45,2%) em cidades com mais de 100 mil habitantes.

Os cinco jovens serão enterrados nesta quarta-feira, no Cemitério Nossa Senhora de Fátima, no bairro Taquara, em Duque de Caxias.