Candidatos focam em segurança e educação no terceiro bloco do debate

Aécio afirmou que não 'privatizará os bancos públicos' e que não terminará com os programas sociais já existentes; Dilma questiona políticas de segurança em Minas

iG Minas Gerais | DA REDAÇÃO |

O terceiro bloco do debate presidencial da Band, realizado na noite desta terça (14), retornou com Dilma questionando Aécio a respeito da violência contra a mulher.

Ela lembrou que a lei Maria da Penha foi aprovada durante o governo Lula. Em sua resposta, o tucano puxou por aí, afirmando que uma legislação 'desta importância' não pode se tornar produto de uma administração, já que foi amplamente discutida no Congresso.

Ambos os candidatos concordaram na necessidade da ampliação dos direitos da mulher.

Dando sequência, Aécio aproveitou o tempo de sua pergunta para reafirmar que não 'privatizará os bancos públicos' e que não terminará com os programas sociais já existentes. As respostas seguintes envolveram financiamentos em Cuba e sobre a criação do Bolsa-Família, o qual o tucano afirmou ter sido criado por Fernando Henrique Cardoso.

O debate continuou com Dilma perguntando sobre segurança pública durante o governo de Aécio em Minas. Em sua resposta, Aécio afirmou que os crimes tiveram queda, além de defender que a segurança nacional deve ser reforçada, “principalmente nas bordas dos país”. Na réplica, a petista afirmou que pretende aumentar os poderes do governo federal na área, já que a responsabilidade, de acordo com a constituição, é da esfera estadual.

A petista, quando abordada sobre Educação, Dilma afirmou o que ensino médio é responsabilidade maior dos Estados, além de afirmar que pretende fazer uma reforma curricular. Na questão, Aécio divergiu e voltou a afirmar que presa pela 'meritocracia' na educação.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave