Segundo bloco do debate mostra discussão sobre corrupção e economia

Taxas de inflação foram trunfos do tucano, enquanto Dilma alfinetou Aécio sobre nepotismo e situações irregulares no governo de Minas

iG Minas Gerais | DA REDAÇÃO |

Primeiro debate do segundo turno da eleição presidencial, o evento organizado e transmitido pela Rede Bandeirantes de Televisão, na noite desta terça-feira (14), revela o embate de propostas e planos de governo de Dilma Rousseff (PT), que disputa pela reeleição, e do ex-governador de Minas Aécio Neves (PSDB).

O cenário preparado pela emissora se mostra permissivo ao embate, já que as bancas de cada candidato se encontram de frente. No primeiro bloco, o principal assunto discutido foi a Saúde em Minas.

Na volta, Aécio abordou sobre a polêmica fala do secretario Holland, onde a substituição da carne por ovos seria uma das maneiras para combater a inflação. Na resposta, de forma irônica, Dilma lembrou sobre as taxas de variação de câmbio do governo Fernando Henrique Cardoso, também tucano.

O tucano, em sua réplica, afirmou que o governo Dilma 'fracassou' na luta contra o crescimento da inflação. Novamente, os candidatos não apresentaram propostas para, de fato, combater a variação de preços e focaram em repetir acusações sobre as gestões petistas e do PSDB.

Visando já preparar terreno para a réplica, Dilma questionou sobre as escolas técnicas criadas pelo PSDB. Apesar da pergunta clara, Aécio, de forma irônica, afirmou que a candidata a reeleição possui uma 'obsessão' por Armínio Fraga. Depois, afirmou que pretende ampliar o Pronatec e criticou a execução do programa. Aécio respondeu afirmando que o governo se tornou pouco atraente para o mercado investidor, já que os indicadores econômicos se tornaram 'incontroláveis'.

Dando continuidade, o tucano questionou sobre as denúncias sobre corrupção na estatal Petrobras, onde partidos, incluindo o PT, levariam parte das negociações da empresa. Em caráter defensivo, Dilma afirmou considerar 'fundamental que o país pare de ter impunidade'. Ela reforçou que leis aprovadas em 2013 dão base para as 'investigações da Polícia Federal'.

Pra variar, nenhum dos candidatos apresentaram propostas sobre o tema discutido.

Na sua vez de perguntar, Dilma continuou no tema e convidou a Aécio para explicar a construção do aeroporto de Cláudio em um terreno de sua família. Ela também citou a denúncia sobre a pavimentação irregular em Montezuma. Na resposta, o tucano afirmou que o Ministério Público atestou que as obras foram legais e retrucou, relembrando casos de corrupção no governo federal.

No final, Dilma alfinetou o tucano ao falar que o governo estadual chegou a abrigar parentes de Aécio. Aécio questionou e a desafiou a provar onde suas irmãs trabalham.  

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave