Caio Blat torce por reviravolta no casamento de seu personagem

Ator paulista diz que sempre trilhou seu próprio caminho com segurança e personalidade, ao contrário do manipulado José Pedro, de Império

iG Minas Gerais | DA REDAÇÃO |

João Pedro quer assumir a Império
GLOBO/Alex Carvalho
João Pedro quer assumir a Império

Caio Blat é um ator que planeja bem a carreira. O paulistano iniciou sua trajetória na televisão na TV Cultura, no seriado "Mundo da Lua", em 1991. Teve passagens pelo SBT e, há 15 anos, trabalha na Globo. Sempre trilhou seu próprio caminho com segurança e personalidade, ao contrário do manipulado José Pedro, seu personagem na novela "Império". "Construímos as relações familiares do nosso núcleo muito em cima de um universo quase medieval, de realeza e nobreza", conta o ator, que se inspirou no filme "O Leão no Inverno", de 1968.No longa, um rei prefere o filho mais novo para sucedê-lo no trono, enquanto a rainha deseja ver o mais velho no lugar.

Mas, na atual fase de "Império", é o casamento de José Pedro que está no centro das atenções. Como Maria Marta, papel de Lília Cabral, não suporta a nora Danielle, vivida por Maria Ribeiro, a empresária aproveita a influência que exerce sobre o filho e a chegada da sobrinha Amanda, interpretada por Adriana Birolli, para ameaçar a união de seu primogênito. Na trama, Amanda e José Pedro tiveram um romance no passado que, pelo visto, deixou chamas acesas no rapaz.

Não é que a disputa pelo controle da empresa seja deixada de lado. Mas vamos entrar em um período em que o casamento dele vai mexer demais com sua estrutura emocional", aponta Caio.

Esta é a primeira vez que você trabalha com o Aguinaldo Silva. Ficou surpreso com o convite? CAIO BLAT - Eu sempre tive orgulho de circular bastante e trabalhar com muitos autores e diretores. É prazeroso conseguir esses novos encontros. Admiro o Aguinaldo há muito tempo por sua ousadia. Me surpreende esse estado alucinante em que ele coloca os personagens, sempre à flor da pele e prontos para fazer uma loucura a qualquer momento. Gosto dessa característica de interpretação.

Você faz par com a Maria Ribeiro, que também é sua esposa. Isso contribuiu para que aceitasse o papel ou o fez repensar? CAIO - Tem dois lados, de fato. Em primeiro lugar, a Maria é uma atriz fantástica e esse é um grande momento em sua carreira, por ser sua volta à TV Globo depois de um tempo fazendo novelas em outra emissora. Então, eu queria que ela tivesse sua própria visibilidade, que não parecesse uma dupla. Por outro lado, nós dois juntos temos uma potência maior, nos fortalecemos demais em cena. Maria tem um brilho próprio e isso é incontestável quando assistimos ao programa "Saia Justa" (GNT), por exemplo. Estar ao lado dela é um prazer sem tamanho e dá mais força ao meu trabalho Crescemos bastante um com o outro e isso acontece sem que se ofusque o brilho de cada um.

O José Pedro foi apresentado como um homem ambicioso e disposto a dar uma rasteira no pai. Hoje, aparenta ser totalmente manipulado pela mãe. Sua visão sobre o personagem mudou? CAIO - No começo, eu realmente o via como um cara sem limites, meio maquiavélico e que faria qualquer coisa pelo poder. Mas, depois, ao longo da trama, mais do que ser um homem mau, José Pedro é fraco. É um refém da criação que teve. A gente percebe que ele foi preparado pela mãe para assumir a empresa no lugar do pai e que, por isso mesmo, depende muito dela. É um filho com necessidade de aprovação e aprisionado na imagem que a Maria Marta idealizou para ele desde a infância.

Qual é a sua expectativa em relação ao futuro do personagem e a essa dependência da mãe? CAIO - Acho que seria surpreendente se ele conseguisse se libertar disso e se tornasse um homem autônomo e independente. E começasse a se dedicar ao amor que tem pela mulher. Sim, porque eles se amam de verdade. E a Danielle luta pelo casamento e pela autoconfiança do marido. Acho que o melhor lado do José Pedro é mesmo esse sentimento que ele tem pela esposa e pela filha dela, a Bruna (Kiria Malheiros), a quem ele trata como filha.

Como o público enxerga o José Pedro? Como vilão ou como covarde? CAIO - Quando param para conversar comigo nas ruas, o que mais ouço é para deixar de ser um banana e cuidar mais da Danielle. Na verdade, eu já ouvi de tudo. Alguns homens sugerem que José Pedro aproveite para ficar com a mulher e com a Amanda, que vai dar uma mexida nesse casamento. Então, acho que ele é muito mais visto como um fraco do que como um vilão.

Com esta insistência da Amanda, você acredita que o casamento do José Pedro está ameaçado e você passe a gravar menos com a Maria? CAIO - O casal passa por uma grande prova de fogo, sem dúvida. José Pedro fica abalado e a Amanda se joga demais em cima dele. Com isso, Danielle entra em um estágio de ciúme muito forte. É claro que ela gosta da vida de madame que leva, de poder sair para almoçar com as amigas e ir ao salão de beleza e às compras na hora em que quer. Mas ela também sabe que o marido tem potencial e que eles podem ter uma vida boa. Mesmo sem a influência da família, por um caminho independente. É isso que ela busca. Vai vir um conflito forte aí e torço para que abale esse casamento.

Por quê? CAIO - Quanto maior a dificuldade, melhor a conclusão no final. Eu quero mais é que eles rompam, que a Danielle perca a confiança e até fique com outro personagem. Isso obrigaria os dois a lutarem por uma volta. Ator sempre quer que seus papéis passem por mudanças e surpresas. Desde que a Amanda entrou na história, a novela melhorou muito para nós dois. Estávamos vivendo principalmente os conflitos da família e agora chega o momento em que a nossa trama ganha mais força.

Você já mencionou que recusou alguns trabalhos para não atuar junto com a Maria. O que conta no momento de tomar essa decisão? CAIO - Vejo casais que se tornam uma dupla e eu não acho legal. Quando a gente gosta muito do projeto e acredita que pode fazer bem para os dois, não há motivos para negar.

Você vem emendando novelas desde 2012, quando fez "Lado a Lado" e, em seguida, "Joia Rara". Pretende dar um tempo depois de "Império"? CAIO - Não existe nada previsto. Na Globo é um pouco complicado fazer esse tipo de planejamento porque a gente nunca sabe quando vai ser escalado. Tem acontecido de eu ser muito solicitado e sempre para papéis incríveis, então me sinto seduzido e sigo fazendo. Mas é claro que bate uma vontade de dar uma parada, se reciclar um pouco e viajar com a família. Penso em ensaiar uma peça, mas tudo vai depender do que vai acontecer até o fim de "Império". Comecei a trabalhar nessa novela na segunda-feira e tinha finalizado "Joia Rara" na sexta-feira anterior. E está valendo muito a pena.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave