Pai admite desespero, mas diz que Bianchi não desistirá

Philipe Bianchi admite que a situação do filho é complicada mas espera que Jules possa se recuperar aos poucos, assim como ocorreu com o ex-piloto Michael Schumacher

iG Minas Gerais | AGÊNCIA ESTADO |

Bianchi tem como melhor resultado no ano um 13º lugar, no GP da Malásia
Divulgação / Página Oficial
Bianchi tem como melhor resultado no ano um 13º lugar, no GP da Malásia

O pai de Jules Bianchi se manifestou publicamente sobre o estado de saúde do seu filho, internado em estado grave e estável no Hospital Geral de Mie após sofrer um acidente durante o GP do Japão, em 5 de outubro, no circuito de Suzuka. Em entrevista ao jornal italiano Gazzetta dello Sport, ele exibiu toda a sua preocupação com o estado de saúde do piloto francês, mas também demonstrou confiança na recuperação do seu filho.

"A situação é desesperadora", disse Philipe Bianchi, destacando que não consegue mais viver sequer um momento de tranquilidade. "Toda vez que o telefone toca, sabemos que pode ser do hospital dizendo que Jules morreu. Ele não vai desistir, tenho certeza disso. Posso ver e acredito", completou.

Philipe Bianchi destacou ser um milagre que seu filho tenha sobrevivido ao acidente. "Eu falo com ele, sei que ele pode me ouvir. Os médicos nos disseram que já é um milagre, ninguém sobreviveu a um acidente tão sério. Mas Jules não desistirá. O preparador dele, Andrea, disse que, se tem alguém que pode fazer algo acontecer, é ele", afirmou.

Na 43ª volta do GP do Japão, sob forte chuva, Bianchi perdeu o controle do seu carro na curva sete, escapou da pista e se chocou com o trator que retirava o carro do alemão Adrian Sutil, que sofreu acidente na volta anterior. Seu pai vem acompanhando a sua recuperação no Japão e destacou o forte apoio que vem sendo recebendo de outros pilotos da Fórmula 1, que inclusive o homenagearam antes do GP da Rússia, no último domingo, em Sochi.

"Eu nunca vi nada como isso. Isso nos tocou muito. Agradecemos a cada um deles. Muitos deles entraram em contato. Alonso, Vergne, Massa, todos eles mandaram mensagens de forte apoio", disse. "Hamilton enviou um e-mail carinhoso também e disse que podemos contar com ele para qualquer coisa. Rossi e Márquez, da MotoGP, também", completou.

Philipe Bianchi também comparou a falta de divulgação de informações sobre seu filho com o caso de Michael Schumacher, que no fim de 2013 também sofreu graves lesões na cabeça ao se acidentar quando esquiava nos Alpes franceses.

"Foi muito triste quando ele se machucou. E eu ficava imaginando como todos, por que eles não dizem mais sobre sua condição? Mas agora eu estou na mesma situação e entendo. Todos ficam perguntando sobre Jules, mas não posso responder, não há uma resposta. É grave, mas ele está estável", explicou.

O pai de Bianchi também destacou ser impossível realizar prognósticos nesse momento. "Um dia ele parece um pouco melhor, no outro um pouco pior. Os médicos não dizem. Os danos por conta do acidente são bem graves e não sabemos como vai evoluir. Mesmo com Schumacher, levou meses para sair do coma", disse.

Para finalizar, Philipe admitiu que ele e seus familiares vivem um pesadelo desde que Bianchi se acidentou, atrapalhado ainda pelo fato de estarem longe de casa, em Yokkaichi, no Japão, onde seu filho está internado.

"É difícil. Em uma semana, a vida da família foi destruída. O que estamos fazendo aqui? Vivendo um pesadelo em um lugar longe de casa. Mas quando Jules melhorar poderemos transferi-lo, talvez para Tóquio, e as coisas vão ficar mais fáceis. Mas ninguém sabe quando isso vai acontecer. Se acontecerá. Nós não temos certeza de nada, só temos de esperar", concluiu.

Leia tudo sobre: jules bianchifamiliagp do japaoacidenteyokkaichijapao