Encontro na serra do Cipó reúne xamãs, índios e pajés

Reunião entre 24 e 26 de outubro pretende resgatar o respeito pela vida

iG Minas Gerais | Ana Elizabeth Diniz |

O temascal faz parte do ritual de limpeza e purificação dos corpos
Susana Ferreira/divulgação
O temascal faz parte do ritual de limpeza e purificação dos corpos

O xamanismo resgata a relação sagrada do homem com o planeta e a sabedoria nativa ancestral por meio de práticas que usam os elementos da natureza, água, terra, fogo e ar, a fim de restaurar a energia vital tão combalida nos dias atuais, principalmente naqueles que vivem em grandes centros urbanos.

Quem se identificar com esse chamado pode participar de um encontro internacional de xamanismo que vai acontecer entre os dias 24 e 26 de outubro, no Recanto da Cigarra, na serra do Cipó, a 90 km de Belo Horizonte. O evento vai reunir índios, pajés e xamãs em rituais como a dança do animal de poder, resgate dos guerreiros de luz, do masculino e do feminino e em curas xamânicas e benzimentos (ver agenda).

O seminário é idealizado pela xamã Anna Xara, 53, fundadora da Escola Gaia de Xamanismo e Educação Ambiental no Brasil e Portugal.

Nascida no Amazonas, ela foi criada pela avó índia seguindo tradições e rituais de cura. Dedica-se a estudos e pesquisas de práticas e curas indígenas, tendo vivido em dez aldeias do Brasil, Peru e México.

A xamã mora em Lagoa Santa, na Grande BH, mas viaja o mundo ministrando seus conhecimentos e, desde 1994, dedica sua vida ao xamanismo, como uma missão espiritual e projeto de vida.

“Ser xamã é entrega, desapego. É ter amor incondicional por tudo e por todos. Xamã é aquele que está sempre em busca da sua cura pessoal e de todas as suas relações. Coloca a natureza e os elementos, terra, água, fogo e ar e o respeito a todos os seres em tudo que faz. O xamã tem que ter compreensão, compaixão, saber compartilhar, tem que dar sem questionar o que recebe, sem crítica, sem julgamento. Confia na existência”, explica Anna.

Ancestrais. Durante o fim de semana na serra do Cipó o que se pretende é resgatar a cultura indígena ancestral.

“Esse encontro internacional vai reunir pessoas de diferentes partes do mundo para celebrar e reconhecer a unidade. Com a presença de vários índios nos conectamos com a ancestralidade e reconhecemos o índio que está dentro de cada um de nós. Trabalha-se o perdão entre os povos e entre nações, porque acreditamos que ‘somos todos um’ e para que não continuemos carregando memórias de invasões do passado. Tocamos tambor, dançamos e cantamos pela força da paz”, convoca a xamã.

Segundo ela, o som do tambor faz conexão com a energia instintiva e possibilita uma viagem xamânica a fim de encontrar soluções para as questões que se quer resolver.

Agenda: 5º Encontro Internacional de Xamanismo da Escola Gaia, que tem o tema “Eu amo o índio que existe em mim II”, vai acontecer de 24 a 26, no Recanto da Cigarra, na serra do Cipó. Informações: (31) 3687-2047, (31) 9321-0383 (Tim), (31) 8427-4646 (Claro) e (31) 9954-4312 (Vivo).

Ritual

De bem com a vida. Dê bom dia para o sol, céu, mar, plantas, abrace as pessoas mais próximas logo ao acordar. Tome água. Agradeça a vida e esteja presente no aqui e agora.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave