Entre crônicas e versos

A cantora Maria Lúcia Godoy lança “Guardados de Maria Lúcia Godoy”, hoje à noite, na Academia Mineira de Letras

iG Minas Gerais | Carlos Andrei Siquara |

Voz. Maria Lúcia Godoy se tornou uma das mais importantes cantoras líricas do país ao interpretar obras do compositor Villa-Lobos
sesi sp editora
Voz. Maria Lúcia Godoy se tornou uma das mais importantes cantoras líricas do país ao interpretar obras do compositor Villa-Lobos

Maria Lúcia Godoy é modesta ao comentar sobre a carreira de cantora, que a levou a várias partes do mundo, e mantém essa postura quando fala também da sua escrita. “Eu não tenho pretensão de ser escritora. Eu sempre achei que me expressava melhor com a voz, embora eu escreva algumas versos desde a infância”, afirma.

Conhecida como a melhor intérprete das “Bachianas Brasileiras nº 5”, de Villa-Lobos, a soprano mineira lança o seu primeiro livro “Guardados de Maria Lúcia Godoy”, hoje, na Academia Mineira de Letras. Ao reunir crônicas que publicou na imprensa, há mais de um década, além de algumas poesias, o título revisita suas memórias e os preciosos encontros com personalidades e artistas, a exemplo de Bidu Sayão, Jards Macalé, Tom Jobim e Oswaldo França Júnior.

“Eu conheci pessoas ótimas durante a minha vida e o contato com Bidu Sayão é um dos momentos felizes que eu recordo nesse livro. Ela me ouviu cantar as ‘Bachianas’, de Villa-Lobos, no Carnegie Hall, sob a batuta do regente Leopold Stokowski, que foi um concerto muito importante para a minha vida. Foi realmente uma honra estar ali. Eu não tinha ideia que poderia alçar alguns voos, que, aos poucos, aconteceram”, lembra.

Organizado por sugestão do artista plástico Mario Cafiero, o título constrói, por meio de textos e de imagens, uma panorama da sua trajetória. A atuação no canto lírico, com papéis em diversas montagens em óperas, por exemplo, aparece documentada em fotografias. “O Mario dizia que algumas das minhas coisas precisavam ser publicadas. Um dia ele chegou aqui em casa, pegou os recortes de jornais com os meus textos que foram colecionados por minha irmã e levou tudo para São Paulo. Lá ele editou o livro que eu considero ser bastante simples”, sublinha Maria Lúcia.

“Eu o vejo como um apanhado das lembranças de uma cantora que teve uma família muito grande e volta e meia ela aparece no que escrevo. Por isso, há um olhar, sobretudo, íntimo sobre os fatos que relato. Quando não estou, às vezes, falando de situações que envolvem a mim mesma e os meus parentes, eu estou tratando de alguma anedota relacionada aos amigos”, resume.

Uma das histórias que recorda sem conseguir conter boas risadas tem como personagem o músico Jards Macalé. Em “Meu Amigo Jards Macalé”, ela lembra de um encontro em que o compositor confessava estar desiludido com o amor. Ele desabafou com a amiga afirmando que sexo naquele momento só praticava com a música porque era a única mulher que lhe queria bem.

“Ele disse isso quando debaixo da rede que havia no seu quarto se encontrava um colchão sobre uma cama espatifada. Um amigo que lhe tinha dado a cama chegou pouco tempo depois e comentou como ele tinha conseguido fazer aquilo, já que a madeira usada no móvel era de primeira. Ele respondeu: ‘entusiasmo meu amigo, entusiasmo’. Ele é demais, uma figura!”, ri ela.

Já na poesia, Maria Lúcia expõe os sentimentos sobre o que representa ser mineira; homenageia artistas, como Inimá de Paula; e também reflete sobre o principal instrumento do seu trabalho, em “Poema da Voz”, escrito em 1988.

“Nesse eu escrevo praticamente sobre tudo o que sinto a respeito da voz. Ela é para mim, como dizem os versos, a minha bandeira, meus alados tesouros, minha arma secreta, meu álibi”, pontua a artista.

Após o lançamento do livro, ela conta que um próximo projeto deve vir a público a partir do próximo ano. Será também uma novidade: o seu primeiro disco baseado em canções de ninar. “Eu fui professora do jardim de infância e essa relação com as crianças sempre foi algo que me deixou muito contente. A minha primeira canção eu fiz quando tinha oito anos e ao longo da vida produzi outras que vou mostrar agora”, antecipa ela.

Agenda

O quê. Maria Lúcia Godoy lança “Guardados de Maira Lúcia Godoy”

Quando. Hoje, às 19h

Onde. Academia Mineira de Letras (rua da Bahia, 1466, centro)

Quanto. Entrada franca

Saiba mais

O título “Os Guardados de Maria Lúcia Godoy” (Maria Lúcia Godoy, 172 páginas, R$ 49,90) é publicado pela editora Sesi–SP.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave