Família de Campos visita a paróquia que ex-governador frequentava

Missa realizada nesta segunda-feira (13) marca 60 dias da morte do presidenciável

iG Minas Gerais | DA REDAÇÃO |

Família de Campos visita a paróquia que ex-governador de PE frequentava em Brasília
Reprodução/Instagram
Família de Campos visita a paróquia que ex-governador de PE frequentava em Brasília

A viúva e os cinco filhos de Eduardo Campos, presidenciável morto em agosto em um acidente aéreo, participaram na noite desta segunda-feira (13) de uma missa na Paróquia de São Miguel Arcanjo e Santo Expedito, na Asa Norte, em Brasília.

A ocasião marcou os 60 dias da morte, em 13 de agosto. Presidente nacional do PSB e ex-governador de Pernambuco, Campos era frequentador do local, que fica bem próximo da sede nacional de seu partido, quando estava na capital federal.

Desde o acidente, a vice da chapa, Marina Silva, assumiu a candidatura e teve mais de 20 milhões de votos. Derrotada no primeiro turno, ela declarou apoio ao presidenciável Aécio Neves (PSDB), que era amigo de Campos.

Em fevereiro, o socialista e o tucano ensaiavam acordo no qual aquele que ficasse de fora do segundo turno apoiaria o outro contra a presidente Dilma Rousseff, candidata à reeleição.

Já Marina condicionou o apoio a Aécio a um alinhamento programático entre suas propostas e as do tucano. Em Pernambuco, Marina, com apoio da família de Campos, foi a presidenciável mais votada. O Estado elegeu governador o afilhado político de Campos, Paulo Câmara, já no primeiro turno.

Morte

Campos morreu num 13 de agosto, mesmo dia em que o avô, Miguel Arraes, faleceu em 2005, aos 88 anos. Perseguido pela ditadura militar, que o afastou do governo de Pernambuco após o golpe de 1964, Arraes lançou o neto na política na década de 1980.

Filho de Ana Arraes, ministra do TCU (Tribunal de Contas da União), e do escritor Maximiano Campos (1941-1998), ele deixou a mulher, a economista Renata Campos, e cinco filhos: Maria Eduarda, João Henrique, Pedro Henrique, José Henrique e Miguel, que nasceu no começo de 2014.

Também morreram no acidente aéreo outras seis pessoas que estavam a bordo da aeronave: Alexandre Severo (fotógrafo oficial da campanha de Campos), Marcelo Lyra (cinegrafista), Pedro Valadares (ex-deputado e assessor do candidato), Carlos Percol (assessor de imprensa), Marcos Martins (piloto) e Geraldo Cunha (copiloto).

O jato caiu em Santos e as causas do acidente ainda não foram determinadas.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave