Apple remove app de 'sexo consensual' por conteúdo de 'mau gosto'

Revista virtual "Slate", a criadora do aplicativo, Lee Ann Allman, afirmou que a fabricante do iPhone "não proveu muitos detalhes sobre a decisão"

iG Minas Gerais | DA REDAÇÃO |

Apple remove app de 'sexo consensual' por conteúdo de 'mau gosto'
Reprodução
Apple remove app de 'sexo consensual' por conteúdo de 'mau gosto'

A Apple removeu por considerar de "mau gosto" o aplicativo Good2Go, criado com o intuito de promover sexo abertamente consensual e promover educação sexual em campi universitários dos EUA, de sua loja App Store duas semanas depois de ele ter sido lançado.

À revista virtual "Slate", a criadora do aplicativo, Lee Ann Allman, afirmou que a fabricante do iPhone "não proveu muitos detalhes sobre a decisão".

A companhia afirmara, contudo, que a regra desobedecida pelo aplicativo era "apresentar conteúdo demasiado explícito ou de mau gosto", e que não havia conteúdo explícito. Por conta, Allman removeu posteriormente o aplicativo da loja Play, do Google, de dispositivos com Android.

O app exigia de usuários um questionário sobre nível alcoólico ou de intoxicação por outros narcóticos. "Estou sóbrio"; "levemente intoxicado"; "intoxicado mas ok"; e "completamente bêbado" eram as opções de resposta.

A ideia era permitir que um par de jovens, quando de um encontro romântico, fizessem um ao outro a pergunta "are we good to go?" (algo como "tudo bem se o fizéssemos?"), para garantir que uma relação sexual fosse consensual. A contrapartida poderia responder com "não, obrigado"; "sim, mas... precisamos conversar" e "tudo bem".

"Assédio sexual frequentemente envolve álcool ou [outras] drogas", escreve o site do app em sua seção de perguntas e respostas. A incapacidade de precisamente deduzir o nível de sobriedade [química] do parceiro pode levar a situações em que as expectativas dos indivíduos não estão alinhadas ou não são comunicadas inteiramente."

Allman disse que relançará o app em forma "puramente educacional" e com funções e conteúdo elaborado de maneira coletiva junto com internautas. "A parte mais empolgante da primeira versão foi a discussão evocada ao redor do mundo."

A empresa se descreve como "um grupo de pais e cidadãos preocupados" com a ideia de um aplicativo para "estimular adultos jovens a falar sobre consentimento [sexual] ao mesmo tempo em que tocamos na questão de sobriedade."

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave