Evo Morales ataca Aliança do Pacífico em entrevista

Pesquisas de boca de urna apontam reeleição com 60% dos votos

iG Minas Gerais |

Anti-imperialistas. Morales dedicou vitória a Fidel Castro e Chávez
Jorge Mamani/ ABI
Anti-imperialistas. Morales dedicou vitória a Fidel Castro e Chávez

LA PAZ, Bolívia. O presidente reeleito da Bolívia, Evo Morales, fez duras críticas nesta segunda-feira à Aliança do Pacífico – bloco regional que coordena políticas com os Estados Unidos – em sua primeira entrevista coletiva após a eleição de domingo. Ele também apontou a nacionalização dos serviços básicos e a redistribuição de recursos econômicos como os principais motivos da sua vitória.

Pesquisas de boca de urna apontam que Morales venceu com 60% dos votos em oito dos nove departamentos do país.

“Que temos aprendido? Que ao povo não pode faltar dinheiro, alimentos, água e energia”, disse Morales, no Palácio Presidencial de Quemado.

O presidente fez um aceno aos produtores do departamento de Beni, o único onde foi derrotado. Morales argumentou que entre os próximos desafios “discutirá a extensão da fronteira agrícola” e ressaltou que o país não pode ser “consumidor”.

Ele ressaltou ainda que não pensa em ser reeleito novamente, mas deixou em aberto a possibilidade de uma decisão do povo. O presidente também criticou a Aliança do Pacífico, organização da qual participam países sul-americanos como Chile, Colômbia, México e Costa Risca.

“O que é a Aliança do Pacífico? Uma reunião de alguns presidentes que se juntam pra acompanhar as políticas do capitalismo ou daqueles que têm um pensamento imperialista”, afirmou o presidente reeleito.

Morales dedicou a conquista ao líder cubano Fidel Castro, ao falecido líder venezuelano Hugo Chávez, e a todos os governos “anti-imperialistas” do mundo.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave