Itália julgará 20 latino-americanos por desaparecimentos nas ditaduras

Caso está ligado à Operação Condor, ação coordenada entre os regimes militares da América do Sul para reprimir a ação dos opositores

iG Minas Gerais |

A Justiça da Itália anunciou nesta segunda (13) que vai julgar 20 membros das Juntas Militares da Bolívia, do Chile, do Peru e do Uruguai pelo desaparecimento de 23 cidadãos italianos durante as ditaduras das décadas de 1970 e 1980 nestes países.

Os desaparecimentos estão ligados à Operação Condor, ação coordenada entre os regimes militares da América do Sul para reprimir a ação dos opositores.

Entre essas 20 pessoas estão o ex-presidente do Peru Francisco Morales Bermúdez (1975-1980) e o ex-chefe da repressão no governo de Augusto Pinochet (Chile), Manuel Contreras.

O juiz Alessandro Arturi, que instruiu a fase preliminar do processo neste ano, marcou para 15 de fevereiro de 2015 o início do julgamento.

Os imputados neste caso eram 33, mas uma dezena deles -de nacionalidade uruguaia- ainda não foram enviados a juízo, já que Arturi quer verificar se eles podem ser julgados na Itália pelas mesmas razões pelas quais foram julgados em seus países.

Ele espera uma resposta do Ministério da Justiça da Itália sobre isso. Fabio Porta, deputado do Partido Democrata da Itália (PD), é a parte civil do processo. Ele informou que o ministro Andrea Orlando é sensível ao caso e que o governo de Matteo Renzi está consciente de sua importância.

Em princípio, seriam 21 os julgados, mas na sentença apareceram somente 20. E entre eles não está o do ex-presidente da Bolívia Luis García Meza Tejada.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave