Secretárias irão conduzir transição do governo mineiro

Renata Vilhena e Maria Coeli foram indicadas pelo governador

iG Minas Gerais | Guilherme Reis |

Braço-direito. Ao longo de 12 anos, Renata Vilhena foi secretária de Anastasia e de Aécio Neves
Osvaldo Afonso/Imprensa MG -29.8.2011
Braço-direito. Ao longo de 12 anos, Renata Vilhena foi secretária de Anastasia e de Aécio Neves

 

O governador Alberto Pinto Coelho (PP) deu início ao processo de transição do Executivo e designou ontem as secretárias de Planejamento, Renata Vilhena, e da Casa Civil, Maria Coeli, para coordenar a troca de administração. Nesta terça-feira o governador eleito, Fernando Pimentel (PT), deve anunciar qual será sua equipe responsável por colher dados da atual gestão.

Em nota divulgada à imprensa, a assessoria informou que Alberto Pinto Coelho entrou em contato com o governador eleito e encaminhou ofício, nos termos da Lei 19.434/2011, para que seja estabelecida a comissão de transição. “O governador Alberto Pinto Coelho aguarda, agora, o retorno do governador eleito”, diz o texto.

Para que o trabalho comece, falta, agora, o petista definir sua equipe de transição, o que deve acontecer ainda nesta terça-feira, já que o novo chefe do Executivo vai conceder coletiva de imprensa sobre o assunto.

Nesta terça-feira vence o prazo para que o governo de Minas oficialize o grupo responsável por ajudar a equipe petista. A Lei 19.434 determina que a administração vigente operacionalize a mudança de governo em até dez dias após a eleição.

As escolhidas pelo governador trabalharam no Executivo durante os 12 anos da gestão tucana e pepista. Renata Vilhena foi secretária adjunta de Planejamento nos governos do presidenciável Aécio Neves (PSDB) e titular da pasta desde que o ex-governador Antonio Anastasia (PSDB) assumiu o cargo, em 2010.

Maria Coeli, que comanda a Casa Civil, foi secretária de Desenvolvimento Social e Esportes e secretária adjunta de Desenvolvimento Regional e Política Urbana nos governos de Aécio Neves. Ela também foi presidente do Instituto de Previdência dos Servidores do Estado de Minas Gerais (Ipsemg).

Os nomes vão ao encontro do que deseja Fernando Pimentel: acesso prioritário à saúde financeira do Estado, endividamento, quadro do funcionalismo público e situação da previdência.

Tranquila. O responsável pela área jurídica da transição de Pimentel, Marco Antônio Rezende, disse nesta segunda-feira acreditar que o processo será tranquilo. “Esperávamos o governo do Estado se posicionar. Agora é com o Pimentel definir quais serão os nomes designados para colher as informações. Não sabemos ainda quem serão essas pessoas. Nem cogito que uma medida judicial seja necessária para conseguirmos as informações.”

Cotados para o novo governo:

Apesar de a eleição ter acabado há dez dias, alguns nomes já são cotados para assumir pastas no futuro governo de Fernando Pimentel:  Roberto Carvalho. Secretaria de Estado de Casa Civil e de Relações Institucionais  Paulo Moura. Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior Arnaldo Godoy. Secretaria de Estado de Cultura  Mauro Borges. Secretaria de Desenvolvimento Econômico Reginaldo Lopes. Secretaria de Educação  José Afonso Bicalho. Secretaria da Fazenda  Marco Aurélio Crocco. Secretaria de Estado de Planejamento e Gestão  Helvécio Magalhães. Secretaria de Saúde  Murilo Valadares. Secretaria de Transportes e Obras  Wadson Ribeiro. Secretaria de Estado de Turismo e Esportes  Marco Antônio Resende Teixeira. Procurador geral do Estado  Josué Gomes. Secretaria de Estado de Trabalho e Desenvolvimento Social

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave