Tenista paralímpico de MG atinge 22ª posição no ranking internacional

Daniel Rodrigues chega ao mesmo nível de atletas gringos, que possuem patrocínios e melhor estrutura de trabalho

iG Minas Gerais | DANIEL OTTONI |

Daniel Rodrigues trabalha duro para manter o alto rendimento
GABRIEL HEUSI
Daniel Rodrigues trabalha duro para manter o alto rendimento

O valor do tênis mineiro vai além de duplistas de alto nível como André Sá, Marcelo Melo e Bruno Soares. Na modalidade paralímpica, os resultados também já aparecem a nível internacional.

A maior prova disso aconteceu neste final de semana, em Florianópolis, com Daniel Rodrigues. Ele foi campeão da Copa Guga nas categorias de simples e duplas. Nesta última, o título veio ao lado do também mineiro Rafael Medeiros.

Com o resultado, Rodrigues chegou ao melhor resultado de sua carreira no ranking de simples da ITF (Federação Internacional de Tênis). Agora, ele ocupa a 22ª posição. Na final, ele bateu o australiano Ben Weekes.

O grande diferencial, que faz o feito ganhar destaque, é o fato do mineiro não contar com patrocínios, vivendo uma realidade bem distinta dos gringos.

"Esse torneio foi o mais importante que já ganhei na carreira. Venho numa sequência muito boa neste ano e que me fez subir dez posições no ranking. Trabalho para chegar num nível alto, onde estão os tenistas dos países de primeiro mundo, que não diferenciam o investimento no esporte olímpico ou paralímpico. Para um brasileiro é sempre mais difícil, porque os investimentos são menores, eu não tenho patrocínio e chegar nesta posição é muito gratificante com todos estes obstáculos", comemora.

A dupla é treinada por Léo Butija, um guerreiro das quadras, que mostra que seu trabalho, motivo por uma paixão pelo esporte, também traz resultados.

"Foram resultados fantásticos na Copa Guga, que é o maior torneio da América do Sul. Conseguimos vitórias importantes e ficamos muito felizes com a subida do Daniel no ranqueamento. É uma posição que demonstra toda a seriedade e comprometimento de todos com o trabalho desenvolvido. Ver na prática os resultados nos dá ainda mais forças para seguir batalhando no tênis", afirma.