Por taça, rivais do Cruzeiro lutam por virada histórica

Desde de 2003, apenas em uma edição do Brasileirão um time conseguiu tirar a vantagem de mais de seis pontos nas últimas dez rodadas do campeonato

iG Minas Gerais | AGÊNCIA ESTADO |

Jogadores do Cruzeiro eram só alegria na cerimônia de entrega da taça de campeão brasileiro
douglas magno
Jogadores do Cruzeiro eram só alegria na cerimônia de entrega da taça de campeão brasileiro

O Cruzeiro está em alerta após a segunda derrota consecutiva no Campeonato Brasileiro. O time mineiro viu a diferença em relação ao segundo colocado cair de nove para seis pontos nas últimas duas rodadas. A dez partidas do término do torneio, porém, apenas uma virada histórica tiraria o bicampeonato da equipe treinada por Marcelo Oliveira.

Desde 2003, quando o sistema de pontos corridos foi implantado, apenas em uma edição do Brasileirão um time conseguiu tirar mais de seis pontos nas últimas dez rodadas. A arrancada deu-se em 2009, com o Flamengo. Na ocasião, a equipe carioca, com 42 pontos, saiu da sexta colocação até o título contra o Grêmio, no Maracanã. Durante a campanha, ultrapassou Goiás (45 pontos), Atlético (47), Inter (47), São Paulo (49) e Palmeiras (54). Para isso, somou 25 pontos em 30 disputados - oito vitórias, um empate e uma derrota.

O São Paulo, um ano antes, também protagonizou uma arrancada histórica. O time paulista, no entanto, precisou tirar quatro pontos de diferença em relação ao líder Palmeiras, que somava 53 pontos, mesmo número do Grêmio. A equipe conquistou 26 pontos em dez jogos, com oito vitórias e dois empates. Dessa forma, levantou a taça na última rodada, contra o Goiás, fechando o campeonato com 75 pontos.

Outra grande recuperação ocorreu em 2009. O fato, entretanto, valeu a permanência do Fluminense na Série A do Brasileirão. Último colocado depois de 28 rodadas, com apenas 22 pontos conquistados, o time do atacante Fred se manteve invicto nas rodadas derradeiras. Com 24 pontos somados - sete vitórias e três empates -, a equipe carioca escapou do rebaixamento diante do Coritiba, fora de casa, após igualdade no placar (1 a 1).

VANTAGEM - Nas últimas 11 edições do Campeonato Brasileiro, apenas quatro registravam uma vantagem maior que a atual obtida pelo Cruzeiro. Curiosamente, duas delas estavam ligadas ao time mineiro. No ano passado, eram dez pontos de diferença para o Botafogo ao término da 28.ª rodada (59 pontos contra 49). Em 2003, a vantagem em relação ao Santos chegou a 12 na 36.ª rodada - a dez do fim.

O São Paulo, em 2006 e 2007, também estava folgado na liderança. No primeiro caso, colocou sete pontos sobre o Santos (56 pontos a 49). No ano anterior, o time do técnico Muricy Ramalho teve ainda mais facilidade. Depois de 28 jogos, com 62 pontos somados tinha 11 pontos de vantagem sobre o Cruzeiro.

Na edição atual, o sétimo colocado, Santos, está com 42 pontos, 14 a menos do que o líder Cruzeiro. Corinthians e Grêmio têm 46 cada, a dez da liderança. O Atlético, primeiro time do G4, soma 47. São Paulo e Inter vêm em seguida, com 49 e 50 pontos, respectivamente. No segundo turno do campeonato, o Atlético registra a melhor campanha, com 17 pontos em nove partidas. Inter, Palmeiras, Santos e Vitória têm 16 cada, seguidos do Grêmio (15) e Chapecoense (14). O Cruzeiro somou 13 pontos.

Leia tudo sobre: cruzeiroatleticosao paulointernacionalcampeonato brasileirocampeao