Imagem de elitista pode ser colada a tucano

A tática de mostrar Aécio como elite, no entanto, pode ser arriscada, na opinião do cientista político Rudá Ricci

iG Minas Gerais | RODRIGO FREITAS |

Uma das táticas avaliadas pelo PT neste segundo turno é mostrar Aécio Neves (PSDB) como um candidato das elites. O fato de o tucano ser de uma família de políticos tradicionais em Minas tem gerado uma discussão interna no PT sobre a melhor estratégia de campanha. Assim, o partido aliaria a imagem de um candidato oligárquico às críticas à atuação social dos governos tucanos, relembrando a gestão de Fernando Henrique Cardoso.  

A tática de mostrar Aécio como elite, no entanto, pode ser arriscada, na opinião do cientista político Rudá Ricci. “Se o PT insiste em mostrar Aécio como sendo um representante de uma classe ‘almofadinha’, o próprio PT pode perder uma fatia desse eleitorado que ele mesmo tem. Pode dar errado”, analisa Rudá.

Para o professor de marketing da PUC Minas Hélvio de Avelar, desconstruir o adversário pode gerar um ônus a quem ataca. “Se quem é atacado conseguir se passar como vítima de ataques injustos, o tiro sai pela culatra. Os candidatos têm que estar atentos a isso”, avalia. 

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave