Pequenas mãos, grandes ações

Eles deram uma lição aos pais e a muitos adultos de como preservar o meio ambiente

iG Minas Gerais | Natália Oliveira |

Exemplo. Helena recebe orientações ecológicas desde cedo de sua mãe, Juliana
Douglas Magno / O Tempo
Exemplo. Helena recebe orientações ecológicas desde cedo de sua mãe, Juliana

A pequena Sophia Santillana Santos, de apenas 3 anos, já ensina: os papeis das balas têm que ser guardados na mochila para não sujar o chão, não se pode deixar a torneira aberta enquanto se escovam os dentes, e o banho tem que ser bem rápido. “A água pode acabar, para beber e para tomar banho”, justifica a pequena.

Apesar da pouca idade, a consciência ecológica já foi despertada em Sophia, assim como em muitas outras crianças que, cada vez mais, estão tomando atitudes para cuidar do meio ambiente, ensinando os pais a fazerem o mesmo. Para comemorar seu dia, hoje, os pequenos dão dicas valiosas para cuidar da natureza. Com apenas 1 ano, Alice Santillana Santos já imita alguns hábitos da irmã Sophia, que pede para a irmã mais velha, Lira Luisa Santos de Andrade, 12, não demorar no banho. Mas nem precisa, porque Lira também se preocupa com a natureza. E os pais vão se adaptando e tomamando uma série de cuidados. “Um dia desses eu esqueci a torneira aberta enquanto escovava os dentes, e a Sophia correu e me chamou a atenção”, contou a nutricionista Tereza Santos, 34, mãe da pequena. Para os adultos, as atividades educativas nas escolas dos filhos ajudam a despertar a consciência das crianças. e os pais tomam partido disso. “Para ser honesto, eu era preocupado, mas errava em algumas coisas. Depois que minha filha começou a me xingar, eu passei a ficar mais cuidadoso. Esse engajamento é uma surpresa, já que, quando eu era criança, não era comum essas preocupações, e nem mesmo as escolas tinham uma educação voltada para o meio ambiente. Atualmente isso é muito mais forte”, considera o professor Paulo Carvalho, 48. No carro da família tem uma lixeira, já que ninguém mais joga lixo no chão. A filha do professor, Isabela Margaritini Carvalho, 8, também corrige os colegas quando de alguma maneira eles prejudicam o meio ambiente. “Eu fiquei com medo de o mundo acabar”, revela Isabela. Consciência. O medo dos pequenos não é tão inocente assim. A professora da Faculdade de Educação da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) Mônica Meyer explica que, quanto mais cedo os pequenos aprendem a cuidar do meio ambiente, mais fácil será cuidar do planeta no futuro. “As crianças vão criando hábitos como não jogar papel no chão e não desperdiçar as coisas. Criar essa consciência nelas é extremamente importante para que no futuro elas cuidem melhor da natureza”, ressalta. De acordo com a professora, embora as escolas já tenham inserido a educação ambiental no currículo escolar, o ensino ainda não é o ideal, e é preciso que os pais também façam parte dessa educação. De berço. Aos 5 anos, Helena Umbelino já tem uma das primeiras responsabilidades: cuidar das plantas da casa. E Juliana ensina a filha desde quando ela era bem pequena a não gastar água em excesso ou jogar lixo no chão. As duas tomam banho juntas para economizar água e aproveitam para unir mais a família. “Às vezes, eu esqueço a luz de algum cômodo acesa, e ela logo vai lá, apaga e me xinga por eu ter esquecido acesa. Ela é bastante preocupada em não desperdiçar nem energia nem água. Se todas as crianças fizerem isso, futuramente, vamos ter um mundo melhor”, conclui Juliana.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave