Machismo é tema central da eleição

O resultado da campanha, por enquanto, foi a renúncia de dois candidatos envolvidos em casos de violência contra a mulher

iG Minas Gerais |

La Paz, Bolívia. Neste ano, mais de cem mulheres já foram assassinadas na Bolívia, um dos países mais violentos para as mulheres na América Latina, de acordo com a ONU. Mas no meio de uma onda de ataques a elas – que incluem corpos abandonados, queimados e até decapitados –, um grupo de mulheres conseguiu o que parecia impossível. O movimento colocou o machismo como uma questão central da campanha para as eleições. Com o lema “Machista, fora da lista”, várias organizações foram às ruas em uma mobilização contra o machismo. Além disso, diversas ações foram feitas nas mídias sociais. O resultado da campanha, por enquanto, foi a renúncia de dois candidatos envolvidos em casos de violência contra a mulher.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave