Extravagância deixada de lado

Luana Piovani, em ‘Dupla Identidade’, da Globo, vive personagem menos exibida

iG Minas Gerais |

Luana conta que seu papel na produção exige ser mais discreta
Jorge Rodrigues Jorge/CZN/Divulgação
Luana conta que seu papel na produção exige ser mais discreta

Luana Piovani está acostumada aos tipos extravagantes que sempre interpretou. O próprio jeito forte e afetado da atriz denuncia que não precisou se esforçar muito para viver loiras fatais em produções como “Quatro por Quatro” e “A Mulher Invisível”, ambas da Rede Globo. Portanto, além de ser surpreendente para o público, estar na pele da sóbria e objetiva Vera de “Dupla Identidade” é um exercício em direção ao “menos”. “As ações da minha personagem são calculadas, minimalistas. É o trabalho de preparação e gravação mais diferente do qual já participei na televisão. Vera me despertou para um lado mais artesanal e detalhista da atuação”, conta.

Imersa no universo policial da série de Glória Perez desde junho, Luana assume que se assustou com a temática da produção, que retrata o cotidiano e os assassinatos de Edu (Bruno Gagliasso). No entanto, foi a partir de uma pesquisa intensa que a atriz acredita que conseguiu chegar ao ponto certo da personagem, uma psicóloga forense, recém-chegada de uma temporada se especializando no FBI, e que é de suma importância para capturar o criminoso. “O grande objetivo de Vera é pensar à frente do assassino. Conseguir essa postura focada e sem medo dela foi um processo lento”, explica.

Como parte desse processo, além da assessoria dos pesquisadores da própria produção, Luana recorreu a muitos filmes, séries e livros sobre o assunto e passou a procurar por histórias reais em sites da internet. No entanto, a fase mais importante da preparação aconteceu nas visitas que fez às sedes de Instituto de Criminalística.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave