Muito além da pochete

Bolsa também é coisa de homem. Confira como apostar em opções criadas especialmente para eles

iG Minas Gerais | Lorena K. Martins |

Mochila. Chamada também de “backpack”, é o modelo de bolsa mais masculino. Hoje, repaginada, ela perde sua pegada escolar e ganha novas versões mais sofisticadas e estilosas, é claro
Zé Takahashi/AGÊNCIA FOTOSITE
Mochila. Chamada também de “backpack”, é o modelo de bolsa mais masculino. Hoje, repaginada, ela perde sua pegada escolar e ganha novas versões mais sofisticadas e estilosas, é claro

Foi-se a época em que o homem saía de casa apenas com os bolsos cheios. A chave do carro, os óculos, a carteira e o celular – que aumentou de tamanho – ganharam novas companhias, afinal, o homem moderno carrega consigo muitas coisas. E pra acompanhar isso, a pedida da bolsa é praticamente indispensável, embora alguns conservadores ainda torçam a cara. Afinal, bolsa não era só coisa de mulher?

Mentira. De acordo com Kadu Dantas, jornalista e blogueiro referência em moda masculina, a função da bolsa masculina ainda é mais utilitária, geralmente para carregar tablet, computador e outros acessórios. “Não dá pra carregar tudo nas mãos e nos bolsos. Mas como ainda existe essa ideia da bolsa comprometer a masculinidade, eles continuam usando pelo menos a mochila, que é mais masculina. Mas a mentalidade está mudando. Ele está mais preocupado com a aparência e começando a se arriscar mais”, acredita.

O gerente de investimento Guilherme Pertence é fã e usa um modelo diferente a cada dia, que vai desde o estilo carteiro até as que se carregam na mão – forte tendência da moda masculina. E não, necessariamente, para levar seus apetrechos, como um computador portátil ou tablet. “Acho extremamente prático e, sinceramente, não sei por que ainda existem poucos adeptos. Bolsa é pratica, além de deixar o seu look mais descolado e elegante”, opina.

Pra carregar junto

As passarelas, internacionais principalmente, apostam em opções utilitárias, batendo na tecla da praticidade, mas sem deixar de lado o quesito tendência, que é bastante reforçado. A ideia, mesmo que ainda necessita de amadurecimento para as terras tupiniquins, é que finalmente a bolsa se torne um acessório para complementar um look. É claro que a mochila ainda é a campeã e deixa um pouco de lado a pegada totalmente esportiva para ser mais chic, digamos. Uma opção até para acompanhar os executivos e, de quebra, deixar o visual mais despojado. “É legal combinar um terno com uma mochila mais limpa, sem bolso e com um material mais sofisticado, como o couro, pra não deixar o look estranho”, ensina.

Outra opção veio com Giorgio Armani e suas bolsas no estilo saco, que lembram uma mala de tão grandes, as chamadas “holdall bags” – preferidas de Pharrell Williams e Kanye West, por exemplo. Já a tradicional carteiro veio revisitada com Gucci. Outra opção, no estilo clutch – sem alças– foi desfilada pela carioca TNG, um modelo feito em couro de peixe, o mais ousado para entrar, definitivamente, no closet masculino.

Para não restar dúvidas na hora de garimpar um modelo para chamar de seu, Guilherme Pertence dá o caminho das pedras. “Escolha modelos que te deixem confortável. Muitas vezes, existem bolsas com alça removível, o que facilita a utilização de formas diferentes. E, sem dúvida, abuse dessa ideia, pois você já saiu do colégio e não precisa usar somente mochilas”, aconselha.

Antes que as fotos que selecionamos seja um empurrãozinho para você aderir à bolsa, quem usa diariamente adverte. “Depois que começar a usar, não mais abra mão da bolsa e comece a se arriscar mais em novos modelos”, diz Kadu Dantas.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave