Melhor dos dois mundos

Original das histórias em quadrinhos do cartunista Caco Galhardo, “Lili, A Ex” flerta com a realidade e o lúdico

iG Minas Gerais | caroline borges |

Sintonia. Elenco bem sintonizado de “Lili, A Ex” garante qualidade e diversão ao telespectador
GNT
Sintonia. Elenco bem sintonizado de “Lili, A Ex” garante qualidade e diversão ao telespectador

Os dilemas amorosos das mulheres são uma fonte de inspiração atual e inesgotável de situações retratadas na teledramaturgia do GNT. De olho nessa vertente, o canal a cabo investe – mais uma vez – em uma produção voltada para o comportamento e os conflitos do público feminino com a série “Lili, A Ex”. Baseada nas tirinhas de Caco Galhardo, a série traz Maria Casadevall na pele de uma mulher obcecada pelo ex-marido e que faz de tudo para atrapalhar todos os relacionamentos dele.

Originais das histórias em quadrinhos, a série segue uma linguagem exagerada ao longo de sua história, o que permite uma estética sem amarras com a realidade. A produção explora o lúdico ao mostrar sequências da protagonista empunhando uma bazuca ou uma motossera. Galhardo, que encabeça o time de roteiristas, soube manter a identidade de suas tirinhas ao adaptar o projeto para a TV. Em uma feliz paródia com as situações clichês de comédias românticas, a produção conta com um texto simples, divertido e guiado por diálogos ágeis.

Ainda assim, o maior acerto da série está na escalação de seu elenco. Após ganhar repercussão em “Amor à Vida”, da Globo, Maria Casadevall está bastante à vontade no papel. A atriz aproveita bem o tom de cartoon da história e constrói uma personagem caricata na medida certa. Com tiques e olhares nervosos, Lili é o contraponto ideal do metódico Fernando, interpretado por Felipe Rocha. Cria do teatro, o ator se sai bem como um nerd maníaco por limpeza. Inclusive, as personalidades opostas dos personagens centrais são o principal ponto cômico da série.

Ainda que focada no casal de protagonistas, a produção também conta com personagens secundários interessantes, como Cintia, a melhor amiga de Lili, interpretada por Daniela Fontan. Na pele de uma espirituosa cabeleireira, a atriz reúne os clássicos dilemas femininos, como o excesso de peso e a solteirice duradoura. Apesar de contar com um casting majoritariamente jovem, a série ganha um lustre a mais com as presenças de Rosi Campos e Milton Gonçalves, que vivem Gina e Anselmo. Aliás, o veterano ator é responsável pelos momentos mais tranquilos e plácidos de uma série marcada por diversos períodos de agitação e loucura da protagonista.

Uma coprodução da renomada O2 Filmes, produtora de Fernando Meirelles, com o GNT, “Lili, A Ex”' caminha na contramão dos baixos orçamentos da TV fechada. Gravada em Cotia, São Paulo, a série conta com locações amplas e sofisticadas e direção segura de Luis Pinheiro, o que reflete diretamente no acabamento e finalização da produção.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave