Dunga destaca que vitória dá confiança aos brasileiros

Treinador segue invicto contra os argentinos, com cinco vitórias e apenas um empate no comando da seleção

iG Minas Gerais | AGÊNCIA ESTADO |

Brazil's soccer coach Dunga smiles during a press conference in Rio de Janeiro, Brazil, Tuesday, Aug. 19, 2014. Dunga summoned players for the upcoming friendly games against Colombia and Ecuador, the first time he picked players since taking over the national team from Luiz Felipe Scolari after the World Cup. (AP Photo/Silvia Izquierdo)
AP
Brazil's soccer coach Dunga smiles during a press conference in Rio de Janeiro, Brazil, Tuesday, Aug. 19, 2014. Dunga summoned players for the upcoming friendly games against Colombia and Ecuador, the first time he picked players since taking over the national team from Luiz Felipe Scolari after the World Cup. (AP Photo/Silvia Izquierdo)

O técnico Dunga aumentou neste sábado - com o triunfo por 2 a 0, no estádio Ninho do Pássaro, em Pequim - a sua invencibilidade na seleção principal do Brasil contra a Argentina. Desde a derrota, a única até o momento, do treinador para os argentinos com o time olímpico, em 2008, nas semifinais dos Jogos de Pequim na China, agora são quatro vitórias e um empate.

Para o treinador, a vitória foi importante principalmente por dar confiança aos jogadores nesse novo ciclo da seleção comandado por ele. "É lógico que na seleção tem pressão, mas tem o prazer também. Essas duas palavras têm de estar em equilíbrio. Ganhar é sempre bom, principalmente em início de trabalho. Após a Copa, ganhar da vice-campeão do mundo, que venceu a Alemanha de maneira fantástica (4 a 2, no mês passado), dá confiança para os jogadores", disse.

Dunga, no entanto, não quis fazer relações entre o desempenho da equipe neste sábado e o vexame na Copa do Mundo. "Não podemos mexer no passado. Temos de pensar no futuro. A pressão na seleção brasileira é grande. Então, quanto mais resultados positivos, teremos menos problemas e mais tranquilidade".

O treinador também fez questão de valorizar a conquista do Superclássico das Américas - pela terceira vez consecutiva. "Não era um amistoso, é uma final de campeonato. Tem marcação forte, mas o Brasil soube se impor e jogar firme".

Do lado da Argentina, o técnico Tata Martino lamentou bastante a falha de Zabaleta e Fernández no primeiro gol, em um momento da partida em que a sua equipe estava melhor, e também o pênalti desperdiçado por Messi. "O primeiro gol veio em uma jogada totalmente fora do contexto. Depois ainda tivemos a oportunidade de empatar no primeiro tempo. A parte mais negativa veio depois do segundo gol. A equipe não teve circulação e o Brasil passou a sair muito rápido para o ataque".

Leia tudo sobre: seleçãobrasiltecnicodungafutebol