Em carta lida pelo filho, viúva de Campos oficializa apoio a Aécio

Aécio também lançou documento assumindo, mesmo que de forma vaga, quase todas as exigências feitas por Marina Silva, exceto em relação à redução da maioridade penal

iG Minas Gerais | Folhapress |

Filhos de Eduardo Campos recebem Aécio no Recife.
Orlando Brito/Coligação Muda Brasil
Filhos de Eduardo Campos recebem Aécio no Recife.

Não habituada a discursos, Renata Campos, 47, viúva do ex-governador Eduardo Campos, oficializou o apoio da família à candidatura de Aécio Neves (PSDB), por meio de uma carta lida pelo filho mais velho do casal, João, 20, no início da tarde deste sábado (11).

"Somos nordestinos, pernambucanos, e queremos juntos construir a nação brasileira. Siga em frente, Aécio, e que Deus nos proteja", diz a carta de Renata, que perdeu o marido em um acidente aéreo no dia 13 de agosto.

"Você vai levar a garra e energia do nosso povo, que serão fundamentais e essenciais para a construção de um novo Brasil", afirmou a viúva na carta lida pelo filho. No texto, Renata disse estar sofrendo pela morte do marido e que o acidente interrompeu seus planos políticos.

"Para nós, este ano foi um ano muito duro. Perdemos nosso Eduardo, o nosso Dudu, nosso pai, nosso líder", afirmou. "Ele tinha um grande sonho: tornar o Brasil um país mais justo, mais humano, mais equilibrado, onde as pessoas estivessem em primeiro lugar".

"Ele sabia que para chegar neste novo Brasil era preciso um novo caminho. Infelizmente, quis o destino que o caminho que sonhávamos não se tornasse possível".

A viúva também lembrou da amizade entre Campos e Aécio, que no início do ano fizeram um pacto informal de não-agressão e costuravam nos bastidores um apoio mútuo no segundo turno. "Aécio, acredito na sua capacidade de diálogo e gestão. Sei que não é a primeira vez que seu caminho cruza com Eduardo", disse Renata na carta.

"Em vários momentos, quando era necessário, você e Eduardo sabiam sentar e dialogar, encontrar caminhos". Sempre contida, a viúva de Campos criticou o governo da presidente Dilma Rousseff na carta lida pelo filho. "O Brasil pede mudanças. O governo que aí está tornou-se incapaz de realizá-las".

Ao contrário dos filhos João, Eduarda (22) e Pedro (18), a ex-primeira-dama de Pernambuco não participou do ato no Clube Internacional do Recife, onde há algumas semanas esteve com Marina Silva, que assumiu a liderança da chapa do PSB com a morte de Campos.

Renata receberá Aécio e sua comitiva em sua casa para um almoço. Aécio cumpre, ainda neste sábado, agenda em Sirinhaém, zona da mata pernambucana.

Documento

O candidato do PSDB também lançou neste sábado documento com compromissos para o segundo turno. Ao lado de pessebistas pernambucanos e dos filhos do ex-governador Eduardo Campos, o tucano se comprometeu a cumprir, mesmo que de forma vaga, quase todas as exigências feitas pela ex-candidata Marina Silva (PSB) em troca de seu apoio.

No documento, o tucano se compromete a garantir ao Executivo o papel de demarcação de terras indígenas, a ampliar a reforma agrária e acabar com a reeleição de cargos do Executivo.

O único dos principais pontos que ficou de fora do documento foi a redução da maioridade penal, outra proposta feita por Marina. Ao discursar no Recife, se limitou a dizer que buscará alternativas para afastar a juventude da violência.

Leia tudo sobre: eleiçõeseleições 2014Aécio NevesEduardo Campos