Tolerância zero no Coelho para manter sonho de subir

Alviverde recebe a Portuguesa com a obrigação de vencer para continuar com chances de G-4

iG Minas Gerais | Antônio Anderson |

Experiente atacante Obina espera jogo duro no Independência
JOAO GODINHO / O TEMPO
Experiente atacante Obina espera jogo duro no Independência

Proibido de errar e contra um adversário que vai muito mal na tabela de classificação da Série B do Campeonato Brasileiro, o América enfrenta a Portuguesa, hoje, às 16h10, na Arena Independência, em jogo válido pela 29ª rodada da competição. Invicto há cinco jogos, com três vitórias e dois empates, o Coelho começou a rodada em nono lugar, com 38 pontos, dez a menos do que o Joinville, clube que fecha o grupo dos quatro primeiros.

Para continuar sonhando com o acesso, o América entra em campo com a obrigação de fazer o dever de casa e superar a Portuguesa, que não vence pela competição há nove rodadas.

“Nós esperamos uma partida muito difícil. A Portuguesa não faz uma boa campanha na Série B, mas tem um grupo de qualidade”, afirmou o atacante Obina, artilheiro do alviverde no Nacional, com dez gols marcados até agora.

Obina não esteve em campo no jogo do turno, quando o América foi derrotado por 2 a 1. “Estamos todos focados no objetivo de conseguir mais uma vitória em casa e, assim, dar o troco do primeiro jogo”, afirmou o atacante, que espera um adversário fechado em campo.

“Pela situação que se encontra a Portuguesa, acho que o jogo vai ser ainda mais difícil do que se fosse contra algum adversário que está na nossa frente. Eles vão vir fechados esperando apenas uma bola para tentar definir o jogo”, ressaltou.

Renan Oliveira. Para essa partida, o técnico Givanildo Oliveira ainda aguarda pela liberação do meia Renan Oliveira, que se recupera de uma fadiga muscular.

O jogador será reavaliado hoje. Se for vetado, as opções de Givanildo Oliveira são o meia Tchô ou o atacante Bruninho.

“A princípio, a equipe deverá ser a mesma que começou o jogo contra o Náutico”, destacou o treinador americano, que encara o confronto contra a Lusa como de vida ou morte.

“Eles estão no desespero para somar pontos e fugir da zona de rebaixamento. Nós precisamos do três pontos para continuar com chances de chegar ao G-4.”

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave