Arte que constrói cidadãos

Festival Saci começa amanhã, oferecendo oficinas e espetáculos artísticos para crianças da capital e do interior

iG Minas Gerais | Daniel Oliveira |

Veteranos. 
O show de comemoração dos 20 anos do projeto Palavra Cantada é um dos carros-chefe da programação do Saci deste ano
Daryan Dornelles
Veteranos. O show de comemoração dos 20 anos do projeto Palavra Cantada é um dos carros-chefe da programação do Saci deste ano

Depois de uma edição compacta no último mês de julho, devido à Copa do Mundo, o Festival Saci – Sociabilização, Arte e Cultura na Infância – retorna a Belo Horizonte a partir de amanhã com uma programação que inclui shows do grupo Palavra Cantada e do Armatrux, um espetáculo de teatro do Giramundo, além de uma série de oficinas e atividades que vão até o próximo dia 19. Mas segundo a idealizadora e coordenadora do evento, Mônica Simões, a grande novidade deste quarto ano, que marca a “maturidadezinha” e a responsabilidade do festival, é a interiorização que vai levar o Saci às cidades de Ouro Branco, Moeda e Miguel Burnier e Mota.

“A interiorização é um caminho que tem que ser seguido, não tem saída. Se não trabalhar a criança e ficar esperando o menino crescer, não adianta”, ela defende. Esse objetivo de oferecer arte e cultura de qualidade ao público infantil, cumprindo uma importante missão de formação de público, é o que Simões chama de “tentar ser colaborativo com a educação na infância. É por isso que nossa divulgação começa nas escolas. Nossa formação é por aí”, descreve.

Em Belo Horizonte, esse propósito educador se reflete em uma programação que não quer resumir a criança a mero espectador. A partir de amanhã, uma série de atividades e oficinas, que busca fazer do público infantil verdadeiros protagonistas do festival e criadores de cultura e arte, toma conta dos dois quartéis-generais do festival.

Na praça do Papa, crianças de 4 a 12 anos poderão participar de cursos envolvendo técnicas vocais, de circo, skate e pintura, entre outras. Já no Museu das Minas e do Metal, elas terão acesso a oficinas de gastronomia, com a chef Agnes Farkasvolgyi, e de dança, além de brincadeiras e vivências lúdicas. “A programação inclui desde atividades em que se pode entrar e sair a qualquer hora até oficinas que duram mais de um dia”, explica a coordenadora, então é bom se informar antes no site oficial do Saci (veja link no box).

Mas além de oferecer esses espaços de sociabilização para as crianças, o festival também tem como missão criar espaço para os artistas que desenvolvem trabalhos para elas. E nesta edição, o grande destaque é, sem dúvida, o espetáculo que celebra os 20 anos do projeto Palavra Cantada, dos músicos Sandra Peres e Paulo Tatit, na próxima quarta-feira, às 16h, na praça do Papa. “Belo Horizonte é a segunda cidade onde eles vão se apresentar, depois do Rio, e a presença deles qualifica muito a programação, é nosso carro-chefe”, admite Simões.

Na terça-feira, é a vez do Armatrux dar seu show. O Musical de Bonecos, com direção e trilha sonora de John Ulhoa (do Pato Fu) e Bob Faria, acontece às 17h, também na praça. No mesmo horário, na segunda-feira, outra dupla de mineiros, Weber Lopes e Geovanne Sassá, apresenta seu projeto musical mirim, o Pé de Sonho. E o espetáculo de encerramento do Saci deste ano fica por conta do Giramundo, que apresenta “Aprendiz Natural” no dia 18, às 15h , no Museu das Minas e do Metal.

“É uma peça com tema ecológico, que tem a ver com o Saci, protetor da floresta, e que nós escolhemos como nome exatamente por ser esse símbolo de resistência, de uma infância possível criativamente”, justifica a coordenadora.

No interior, essa programação vai contar ainda com nomes como Érika Machado e o grupo Trampolim. A duração vai variar entre um e três dias, dependendo do tamanho da cidade. “Ouro Branco é a maior, mas nós também vamos para comunidades de 300 habitantes, lugarejos que mal mal viram um espetáculo de teatro na vida. Isso que é gostoso: ir do micro ao macro sem perder o conceito”, defende.

Esse conceito, segundo Simões, é sintetizado no orgulho dos pais ao levar os filhos para uma programação que vai efetivamente contribuir para a formação e construção de conhecimento deles. “Trabalhar com criança é trabalhar com o núcleo da sociedade porque envolve toda a família. Acabamos tendo um papel de educação com pais porque criança é nosso público primário, mas eles são o secundário, que é fundamental. Sem eles, não tem como criar os brasileirinhos legais, críticos, conscientes, que a gente acredita que vai mudar o país”, explica.

Festival Saci

Quando. de 12 a 19/10

Onde. Praça do Papa e Museu das Minas e do Metal – Circuito Cultural Praça da Liberdade

www.festivalsaci.com.br

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave